icon Sábado, 24 de Agosto de 2019

AGRO & ECONOMIA - A | + A

CRÉDITO RURAL 27.06.2019 | 09h:42

BB garante R$ 11 bi para a safra 2019/2020

Divulgação

Divulgação

Próxima safra agrícola matogrossense terá R$ 11 bilhões disponíveis no Banco do Brasil. O total de recursos previstos pelo banco público para produtores locais está dividido em R$ 8,5 bilhões para custeio, comercialização e industrialização e R$ 2,5 bilhões para investimentos. A instituição bancária abrirá as contratações dos financiamentos para a temporada 2019/2020 na próxima segunda-feira (1º), data que marca oficialmente o início das operações de crédito do Plano Agrícola e Pecuário (PAP).

 

Os valores anunciados estão acima do total assegurado pela instituição na safra 2018/2019, quando o total de R$ 6,6 bilhões em recursos foram divididos em R$ 4,9 bilhões para custeio, comercialização e industrialização e R$ 1,7 bilhão para investimento nas propriedades matogrossenses. O incremento anual na disponibilidade do recurso total é de 66%, com respectivos acréscimos de 73% para custeio, comercialização e industrialização e 47% para investimento. 

 

Na última safra, o financiamento da atividade agropecuária em Mato Grosso somou R$ 5,8 bilhões para cooperativas e grandes produtores rurais, R$ 300 milhões para médios produtores por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) e R$ 500 milhões para pequenos produtores com o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). A carteira de crédito do agronegócio em Mato Grosso representa o maior market share (participação) do país, segundo o superintendente estadual do Banco do Brasil, Pedro Marques Júnior. 

 

Superintendente do BB em MT anunciou orçamento da instituição para a atividade rural nesta quarta

“O Banco do Brasil está criando agências especializadas em agronegócio, que é uma atividade muito tecnificada. Já temos essa especialidade”, afirmou durante lançamento do Plano Safra nesta quarta-feira (26), na sede da Federação da Agricultura e Pecuária (Famato), em Cuiabá. 

 

Com expertise acumulada em 30 anos como produtora de soja e milho no município de Tapurah, Rosa Maria Nagel, recorre ao banco, às tradings e revendas para financiar a safra agrícola. Para a temporada 2019/2020, ela demonstra preocupação em relação ao risco de endividamento, já que as taxas de juros estão um pouco mais altas que no ano passado para a maioria das linhas de crédito. “Sempre fizemos uso dos recursos controlados do banco. Dá uma alavancada para o produtor rural, mas o que preocupa é que os juros subiram um pouco, apesar da inflação baixa. Então, o produtor terá que se programar melhor, fazer boas compras e negociações.” 

 

Por investir em uma “indústria a céu aberto”, como define Rosa Maria, o produtor enfrenta riscos a cada nova safra. “Ficamos a mercê do tempo. Mas, até agora temos conseguido salvar as dívidas e manter uma boa produção”, conclui a produtora rural que investe no cultivo de dois mil hectares de soja e milho. Apesar da elevação dos juros do crédito rural, a analista de Agricultura da Famato, Karine Machado, considera que é positivo para o produtor a liberação dos recursos financeiros já no início de julho. 

 

Conforme o PAP 2019/2020, lançado no último dia 18 pelo governo federal, a taxa de juros nas operações de custeio aumentou um ponto percentual, ao passar de 7% para 8% ao ano. O Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) que estava com a taxa de 6% passou para 7%. Nestes dois casos, o setor produtivo rural de Mato Grosso, por meio do Fórum Agro MT, havia solicitado redução de 5,5% e 4,5% respectivamente, informa a Famato. 

 

Ao falar sobre a propagação do uso de novas tecnologias no campo, o superintendente do Banco do Brasil afirmou que no último ano-safra foram firmados 16 mil contratos e liberados R$ 5 bilhões por meio de crédito mobile, ou seja, concedidos via dispositivos móveis. Marques destacou ainda a importância dos negócios firmados pela instituição financeira durante as feiras agropecuárias. Durante esses eventos foram avaliadas 11 mil propostas que culminaram na liberação de R$ 4,7 bilhões. 

 

Os recursos divulgados no lançamento do Plano Safra do Banco do Brasil nesta segunda-feira provêm do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O banco estatal opera, ainda, linhas de crédito com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do CentroOeste (FCO), que prevê R$ 1,160 bilhão para Mato Grosso este ano, segundo o superintendente do Banco do Brasil. 

 

Para todo o país, o Banco do Brasil garante na safra 2019/2020 a cifra total de R$ 103 bilhões, 19% a mais que os R$ 86 bilhões desembolsados no ciclo 2018/2019. (Reportagem de Silvana Bazani - A Gazeta)

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































INFORME PUBLICITÁRIO


INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
Boi a Vista R$/@ 135,00
Algodão R$/@ 90,09
Soja Disponível R$/sc 57,00
Milho Disponível R$/sc 21,70
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet