icon Segunda-feira, 20 de Maio de 2019

AGRO & ECONOMIA - A | + A

PARA AGROPECUÁRIA 14.05.2019 | 18h:58

Cooperativa liberou R$ 373,3 milhões em recursos do BNDES para a agropecuária

Por: O Bom da Notícia

Assessoria

Assessoria

Destaque no ranking de desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Sicredi foi mais uma vez, em 2018, um dos principais parceiros do banco de fomento nas liberações de recursos para as atividades agrícola e pecuária.

 

Na região Centro Norte, que abrange os estados de Mato Grosso, Rondônia, Pará e Acre, foram aplicados R$ 373,337 milhões com recursos do BNDES no último ano, aumento de 31,6% em relação ao montante contabilizado ano anterior, que somou R$ 283,483 milhões. 

 

O ranking anual do BNDES identifica o desempenho das instituições financeiras nas operações indiretas, aquelas em que o banco de desenvolvimento participa indiretamente no repasse de recursos por meio de um agente financeiro a ele credenciado, como no caso do Sicredi. As operações se referem às linhas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), Inovagro, Pronamp e Moderagro. 

 

O Pronaf, como o próprio nome diz, é destinado aos produtores familiares, e foi responsável pelo maior volume de liberações em 2018, na região Centro Norte. O Sicredi aplicou R$ 163,260 milhões com recursos do BNDES em 2018, 80% a mais que os R$ 90,808 milhões liberados em 2017. 

 

Considerando outras fontes além do BNDES, como os recursos da poupança, o Pronaf foi responsável pela liberação de R$ 317,285 milhões na região, acréscimo de 49% sobre os R$ 213,689 milhões no ano anterior. O presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Spenthof, afirma que o Pronaf é uma linha especialmente operacionalizada pelo Sicredi porque beneficia um grande número de produtores rurais e principalmente por atender os pequenos. 

 

O Sicredi na região Centro Norte encerrou 2018 com saldo total da carteira de crédito do Pronaf (BNDES e outras fontes) em R$ 645 milhões, expansão de 28,7% sobre os R$ 501 milhões de saldo ao fim de 2017. 

 

“Esses recursos são aplicados em propriedades familiares, o que possibilita ao produtor investir em melhorias na atividade, produzir mais e consequentemente, obter uma renda maior. Com mais produção, além de ele ganhar mais, ele gera emprego no seu sítio e concretiza um dos propósitos da atuação do Sicredi, que é melhorar a qualidade de vida das pessoas e da comunidade onde elas vivem”. 

 

Um dos associados beneficiados com crédito do Pronaf no último ano foi Alessandro Gonçalves da Silva, 40 anos. Natural de Guaíra (PR) é produtor rural em Sinop há 16 anos. Na cidade natal trabalhava com café em área arrendada e decidiu vir para Mato Grosso para ter as próprias terras. 

 

Comprou uma propriedade em um assentamento, recém-desmatada e começou a trabalhar com pecuária. Ele conta que sempre ouvia falar do apoio do Sicredi aos pequenos e não imaginava que ia trabalhar com a cooperativa, mesmo tendo uma conta antiga, sem movimentação. Foi a partir do momento que obteve o título da terra e vendo os vizinhos se relacionarem com a cooperativa que estava sempre presente no assentamento, foi procurado pelo Sicredi e conheceu a atuação da instituição financeira cooperativa. 

 

“Tornei-me associado em 2014. Quando percebeu que precisava investir no gado leiteiro contratou crédito no Sicredi, pelo Pronaf. Foram duas operações de R$ 50 mil cada, pagas em dois anos.  Atualmente possui um rebanho de 220 cabeças, divididas entre gado leiteiro e de corte. São cerca de 160 vacas leiteiras. Antes da aquisição das matrizes de melhor genética tinha uma produção diária de 100 a 120 litros de leite, e agora tira de 280 a 300 litros/dia. 

 

“Meu salário mensal era de R$ 3 mil e agora, com mais leite sendo produzido subiu para R$ 9 mil. Sem contar a venda de bezerros, quando ao salário pode chegar a R$ 15 mil”, diz ao comentar que tem estrutura para tirar 1.000 litros/dia e vai trabalhar para atingir esta marca. Outro associado que já utilizou os recursos do Pronaf é o pecuarista Fernando Marques, 38, de Bom Jesus do Araguaia. O primeiro crédito foi contratado há dois anos para comprar gados de corte. Ele conta que faz cria, recria e engorda e comprou uma parte dos animais em 2017 e outra em 2018, num total de 66 cabeças. Ao todo foram emprestados R$ 100 mil e já está obtendo retorno do investimento. Além de comprar mais animais investiu na qualidade da terra e do pasto. O gado de corte é vendido para frigoríficos e os bezerros machos são revendidos para pecuaristas. 

 

“Esta contratação de crédito que fiz foi muito produtiva e já estou colhendo os resultados”. As outras linhas de crédito oferecidas pelo Sicredi com recursos do BNDES são o Moderagro, financiamento para projetos de modernização e expansão da produtividade nos setores agropecuários, para ações voltadas à recuperação do solo e à defesa animal. 

 

Nesta linha foram liberados R$ 137,480 milhões em 2018 na região Centro Norte, um crescimento de 39% em relação a 2017, quando foram contratados R$ 98,574 milhões. Pelo Pronamp, financiamento para investimentos dos médios produtores rurais em atividades agropecuárias, foram emprestados R$ 69,451 milhões, e pelo Inovagro, financiamento para incorporação de inovações tecnológicas nas propriedades rurais, visando ao aumento da produtividade e melhoria da gestão, foram liberados R$ 3,146 milhões.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:





















PROGRAMA TRIBUNA VEJA MAIS

O Bom da Notícia Programa Tribuna - 17/05/2019

INFORME PUBLICITÁRIO


INFORME PUBLICITÁRIO




icon COTAÇÕES MT
Milho Disponível R$/sc 21,70
Soja Disponível R$/sc 57,00
Boi a Vista R$/@ 135,00
Algodão R$/@ 90,09
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet