icon Terça-feira, 17 de Setembro de 2019

ARTIGOS - A | + A

24.04.2019 | 12h:46

Jovem e sonhador!

Por: Toninho de Souza

O Bom da Notícia

O Bom da Notícia

Esta quarta-feira amanheceu quente, como de costume na minha querida Cuiabá. Como sempre faço assim que acordo, às 05h da manhã, orei e depois olhei pela janela por alguns instantes refletindo sobre como seria o meu dia antes mesmo de sentir o cheiro do café vindo da cozinha. Meus pensamentos se voltaram para uma situação que preocupa o país e não apenas Mato Grosso. Não poderia ter sido diferente. O Dia Internacional do Jovem Trabalhador, comemorado hoje, foi a motivação para a meditação de rotina.

Tive que retornar no tempo para compreender o que ocorre atualmente com parte dos nossos jovens. Quando deixei Planalto da Serra, há cerca de 40 anos, o choque da mudança não foi tão impactante, pois, Cuiabá ainda era pacata, os carros pernoitavam nas frentes das casas e passar o fim da tarde sentado numa cadeira na calçada era quase que obrigação. Outros tempos aqueles. Com apenas 16 anos, mal havia desfeito as malas e eu já iniciava a minha carreira na comunicação como repórter esportivo de rádio.

A afinidade pela política nasceu com o Jornalismo e começou na metade dos anos 1990 quando ocupei o cargo de Secretário de Comunicação da prefeitura de Várzea Grande no mandato do ex-prefeito Nereu Botelho. Já a experiência na Câmara de Cuiabá não começou como vereador, como alguns acreditam. Foi bem antes, quando assumi a Secretaria de Comunicação a convite do até então presidente da Casa, o ex-vereador Luiz Marinho, que posteriormente também se elegeu deputado estadual.

 

Desde janeiro de 2009 me tornei um dos 25 parlamentares da Câmara Municipal com grande visibilidade. Por conta disso fui aplaudido e também questionado. Ser enquerido não me incomoda. Sempre respeitei oposições e as críticas até ajudam. O triste é receber ofensas, principalmente pelo anonimato das redes sociais. Enfim, como disse Nelson Rodrigues, “toda a unanimidade é burra. Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar”. Com base nessa premissa me mantive com o espírito sempre aberto ao diálogo.

 

Certamente, esses foram alguns dos requisitos que me mantiveram firme com três mandatos de vereador. Em 2016 fui o mais votado da capital e de todo o estado, com quase 6 mil votos, confirmando a minha escolha. Foi a votação mais expressiva para uma vaga na Câmara Municipal. Em 2018, obtive mais de 17 mil votos para uma vaga na Assembleia Legislativa. Agora, distante daqueles 16 anos de idade me considero vencedor.

 

Se tivesse que fazer tudo de novo eu o faria. Aqui está o nó que se formou em meus pensamentos. Talvez, pela imersão, o café tenha descido pelando a garganta, mas não atrapalhou seguir além imaginando como será o amanhã. Fiz parte do contingente de jovens não beneficiados pelo cenário de recuperação do emprego formal e de redução da informalidade, característico dos anos 2004 a 2008. Não me importei. Sonhei e busquei o meu lugar, apesar de sentir fortemente as dificuldades que todos os jovens da minha época sentiram com as mudanças econômicas e sociais das décadas de 1980 e 1990. Mas venci, com determinação e persistência.

 

Penso que para a juventude a exposição contínua à violência de todas as formas, o acesso ao emprego e educação escolar e profissional são alguns dos desafios da atualidade. É lógico que esse cenário não é exclusividade do mais jovens, mas é entre eles que a situação se aprofunda e compromete o presente e o futuro. Há, ainda, as desigualdades que também preocupam. Em 2010, segundo o IBGE, a taxa de analfabetismo entre jovens negros (3,4%) era duas vezes maior do que entre os brancos (1,4%). A disparidade também era grande entre os alunos de 15 a 17 anos: somente 43,5% dos jovens negros nessa idade frequentavam o Ensino Médio, contra 60,3% dos brancos. Pouco coisa mudou na última década.

 

Fiz parte dessa juventude caracterizada por heterogeneidade e desigualdades, mas não desisti. Só consegui colar grau no Ensino Superior em 1991, aos 28 anos. Atualmente, como deputado estadual em exercício na vaga do deputado licenciado Eduardo Botelho (DEM), refiz a minha trajetória antes do último gole de café, já quase frio. Afinal, foram quase dez minutos olhando a xícara e pensando. Já são mais de 30 anos trabalhando como jornalista e não penso em parar tão cedo. A Comunicação Social amadureceu a minha compreensão sobre a vida, a rotina urbana, sobre os desafios de uma Cuiabá que não para de crescer e sobre a sociologia tão miscigenada que moldou a nossa gente.

 

Enquanto deputado estadual, estou assumindo bandeiras como a segurança pública, agricultura familiar e saúde, principalmente. No entanto, apesar do avanço observado nos últimos anos em relação a juventude, o tema passou a constar na minha agenda parlamentar, especialmente quando considerada a juventude de origem simples, além de fatores de gênero e cor. Vejo a questão do emprego como uma demanda pública de grande envergadura e vou defender essa bandeira, pois o mercado de trabalho só é competitivo para os profissionais qualificados.

 

Em 2019, aos 52 anos de idade, os sonhos continuam mantendo o desejo de alcançar aquilo que almejo e que pode nos trazer alegria. Penso que um sonhador tem que ser persistente e só se contentar quando ver seus sonhos realizados. A própria Bíblia me ensina: "Há esperança para o teu futuro" (Jeremias 31:17). Deus gosta dos sonhadores. Eu gosto de Deus!

 

Toninho de Souza é Jornalista, vereador por Cuiabá pelo terceiro mandato consecutivo pelo PSD e deputado estadual em exercício

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Trindade - 26/04/2019

O CARA – Às vezes eu fico P da vida com esse cara. Principalmente quando ele me enrola dizendo que vai ver os problemas do meu bairro e não vai. Brigo mesmo com ele, mas ele só faz rir. Mas eu não posso deixar de elogiar um cara que escreve um artigo como esse: Jovem sonhador. O cara não é só bom de falar, mas também escreve como poucos, apesar de não gostar muito de escrever. Posso afirmar que conheci o Toninho, se eu não me engano, em 1986, logo após eu chegar em Cuiabá em 1985. Não fomos amigos muito chegados, até trabalharmos juntos na Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema). Lá eu conheci um Toninho humano, digno, honeste, de bom caráter e, principalmente de uma generosidade sem limite. Eu como jornalista, posso afirmar que jamais iria elogiar uma pessoa que não merecesse. Até por questões éticas, pois sei que muita gente não gosta e tem até quem tem ódio do Toninho, mas também tem muita gente, que como eu, gosta dele, principalmente por sua humildade e pelo seu caráter. Parabéns pelo artigo. Fica sempre com DEUS e ao lado de DEUS. BEIJOS DO: Trindade.

Nadia - 25/04/2019

Maravilhosa e abençoada trajetória de vida. Segue em frente vc tem muito mais pra fazer por nós, esse cafezinho pela manhã é sagrado para todos que acordam com vontade de vencer.

Joelma - 25/04/2019

Essa sua história de vida serve pra refletirmos, inspirarmos e até seguir como exemplo pra nuca desistir dos sonhos que tanto almejamos. Parabéns Deputado, Deus te Ilumine.

Beto - 25/04/2019

Parabéns você é muito trabalhador e honesto. Linda história que serve para refletir e inspirar muita gente.

Carol - 25/04/2019

Show de trajetória de vida Deputado, você vai longe. Inspira muitos a seguir os seus sonhos e nunca desistir.

5 comentários

1 de 1

VÍDEOS VEJA MAIS

INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
PREÇO DO SUÍNO VIVO R$/kg 3,74
MILHO DISPONÍVEL R$/sc 23,17
BOI GORDO À VISTA R$/@ 141,05
PLUMA DISPONÍVEL R$/@ 74,04
SOJA DISPONÍVEL R$/sc 71,82
VACA GORDA À VISTA R$/@ 132,07
LEITE R$/l 1,09
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet