icon Segunda-feira, 24 de Junho de 2019

CIDADES - A | + A

DIA DO MUSEU 18.05.2019 | 15h:50

Seis espaços museológicos para se visitar em Mato Grosso

Por: O Bom da Notícia

Esses espaços importantes estão em Cáceres, Cuiabá

Esses espaços importantes estão em Cáceres, Cuiabá

Verdadeiras máquinas do tempo, os museus são lugares de reflexão sobre o passado, o presente e o futuro de uma nação. Caminhar por entre galerias e espaços museológicos é pôr os pés em algum lugar ou recorte da nossa história e, de certa forma, presenciar a construção de narrativas de um passado unívoco – e porque não onírico -, intrinsicamente ligado ao futuro.

 

Atualmente, em Mato Grosso, existem mais de 60 espaços museológicos em funcionamento. Entre museus e galerias de arte, são lugares dedicados a contar boa parte da nossa história, com enorme potencial educativo relacionado a aspectos culturais, artísticos e históricos enraizados em nossa sociedade. Frequentar museus, exposições, lugares históricos e galerias de arte fomenta descobertas sobre o homem e sua relação com diferentes povos, culturas e valores.

 

Para celebrar o Dia Nacional do Museu – 18 de maio – encaramos a difícil tarefa de listar seis espaços museológicos abertos ao público nesta data tão significativa para a preservação das origens, manifestações culturais e artísticas de Mato Grosso.

 

• Museu Histórico de Cáceres

 

Com vista para o Rio Paraguai, a história conta que o Museu Histórico de Cáceres foi criado por ocasião do bicentenário da cidade, em 1978, por conta do incentivo da professora Emilia Darcy Cuyabano, que doou muitas das peças e documentos, hoje salvaguardados pelo museu.

 

Lá estão expostos livros, fotografias, roupas, itens arqueológicos e geológicos, documentos e objetos históricos que marcaram a colonização da cidade. A história já começa a ser contada pelas paredes da edificação centenárias (tombada como patrimônio histórico municipal, estadual e nacional), localizada no centro de Cáceres, ao lado da Praça Major João Carlos.

 

Entre os destaques da exposição permanente, a carta de Dom Pedro II, datada de 3 novembro de 1883, nomeando o capitão Antônio Aníbal Alves Pereira, cavaleiro da ordem de São Bento, homenageado pela sua bravura durante a guerra em que acabou morto.

O Museu Histórico de Cáceres está na Rua Antônio Maria, 244, no Centro e funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 18h. A entrada é franca. Informações (65) 3223-1500.

• Museu Histórico de Sinop

 

Criado março de 2008, o Museu Histórico de Sinop é uma rica fonte de pesquisa e preservação do patrimônio histórico e de bens culturais do município. Muito voltado para ações educativas e culturais, o museu propicia às futuras gerações o direito de conhecer as raízes e a evolução econômica, social e política da “Capital do Nortão”.

Com quase dois mil itens, em seu acervo constam fotos, documentos, vestuário, livros, revistas, mapas, jornais, vídeos, slides, utensílios, ferramentas, móveis, instrumentos musicais e de comunicação também. O bacana é que boa parte do acervo está digitalizado e acessível a população. Os documentos digitalizados estão divididos em Coleção Particular (CPA), Coleção Pública (CPU) e Coleção do Museu de Sinop (CMS).

 

Destaque para a Coleção Particular que exibe fotos das famílias pioneiras e de pessoas que participaram do processo de construção de Sinop. Com cadastros de 142 pioneiros, esta coleção está dividida em cinco partes: Agricultura, colonizadora, comércio, famílias pioneiras e indústria.

 

 

O Museu Histórico de Sinop está localizado na Av. das Embaubas, n° 991, Centro da cidade e funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 18h, com entrada franca. É possível acessar seu acervo pelo link www.sinop.mt.gov.br/museu. Informações (66) 3531-8166.

 

• Museu de História Natural de Alta Floresta

 

Inaugurado em 2005, o museu foi criado por meio de convênio firmado entre a Universidade do Estado de Mato Grosso - Unemat, Prefeitura de Alta Floresta e Governo de Mato Grosso.

 

Seu acervo possui vários fósseis e artefatos arqueológicos encontrados na região, além do registro e catalogação de sítios arqueológicos e, também, de material da história recente da colonização de Alta Floresta. Vale ressaltar que o museu comporta um anfiteatro para 200 pessoas, com o sugestivo nome de Cineclube Mastodonte.

 

Destaque para a impressionante coleção de fósseis composta, inclusive, por arcadas dentárias da preguiça gigante - muito raras - além de artefatos de pedra de civilizações indígenas. Uma ótima pedida para quem quer conhecer, seja a história cultural ou história natural da região da Amazônia Meridional, com registros de animais, pedras, rochas e muitos, muitos fósseis. A criançada vai adorar!

 

 

O Museu de História Natural de Alta Floresta está localizado na Av. Ariosto da Riva, 3075, no Centro de Alta Floresta. Aberto de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 17h, o museu tem entrada franca. Informações (66) 3521-9555.

 

• Museu de História e Arqueologia (Vila Bela da Santíssima Trindade)

 

Instituído por lei municipal em 2006, o Museu Histórico e Arqueológico Joaquim Marcelo Profeta da Cruz abriga um acervo com exposições permanente e temporária. A mostra permanente traz o tema “Vila Bela sem fronteiras”, com abordagem sobre a cultura indígena, obras sacras, heranças africanas e apresentação de sítios arqueológicos em territórios quilombolas da região.

 

Muito interessante também é a construção secular feita ainda na época dos escravos, as ruínas históricas da antiga Igreja Matriz da cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade, que ficam no centro da cidade. É fascinante observar as estruturas da igreja que resistiram por tanto tempo.

Tanto o museu quanto as ruínas ficam na Travessa do Palacio s/n, no Centro de Vila Bela da Santíssima Trindade. Informações: (65) 3259-1313.

 

• Museu de História Natural Casa Dom Aquino (Cuiabá)

 

O Museu de História Natural Casa Dom Aquino é um dos equipamentos culturais da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), em funcionamento sob gestão compartilhada com o Instituto Ecossistemas e Populações Tradicionais (Ecoss).

 

O museu possui uma exposição permanente de arqueologia e paleontologia, além de uma reserva técnica. A exposição paleontológica apresenta fósseis de animais da região, organizados cronologicamente, representando a evolução biológica através das eras geológicas. Fosseis como o do tatu (Pampatherium humboldti), preguiça gigante (Eremotherium Iaurillardi), dinossauros (saurópoda) e animais marinhos do período que Chapada dos Guimarães foi mar.

 

 

Destaque para um novo cenário representativo do homem pré-histórico, composto por um bio lago com cascata, rochas naturais e peixes silvestres da bacia do Rio Cuiabá. O monumento é uma representação do período holoceno, que corresponde aos últimos dez mil anos de evolução. Para melhor retratar a época, foram instaladas no lago, estátuas de barro alusivas ao paleoíndio, em tamanho real, esculpidas pelo artista plástico Junne Fontenele.

 

O Museus Casa Dom Aquino está localizado na Avenida Beira Rio, nº 2000, bairro Jardim Dom Aquino, Cuiabá. O funcionamento ao público é de terça-feira a sábado, das 8h às 18h. Informações: (65) 3634-4858.

 

 

• Museu de Arte Sacra de Mato Grosso (Cuiabá)

 

O Museu de Arte Sacra de Mato Grosso, o MASMT, foi fundado em 10 de março de 1980. Situa-se no prédio do Seminário Nossa Senhora da Conceição, uma edificação de estilo eclético de 1858 que fica ao lado da Igreja Nossa Senhora do Bom Despacho, uma construção neogótica de 1918.

 

O passeio ao Museu de Arte Sacra de Mato Grosso já se torna interessante por sua importância arquitetônica, já que é considerado um dos mais importantes monumentos de estilo eclético que exibe combinações de elementos que podem vir da arquitetura clássica, medieval, renascentista, barroca e neoclássica.

 

Ali foram reunidas diversas peças do período setecentista, remanescentes da antiga Catedral do Bom Jesus de Cuiabá, da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, Nossa Senhora dos Passos, acervo pessoal do bispo Dom Francisco de Aquino Corrêa e peças adquiridas por doações particulares. Destaque para os famosos retábulos da antiga Catedral demolida em 1968 e a nova ala de instrumentos musicais da Igreja do Bom Jesus de Cuiabá do período colonial.

O Museu de Arte Sacra de Mato Grosso fica na Praça do Seminário, na Rua Clóvis Hugney, 239, bairro Dom Aquino. Aberto à visitação de quarta-feira a domingo, das 9h às 17h. Outras informações: (65) 3646-9101.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































PROGRAMA TRIBUNA VEJA MAIS

O Bom da Notícia Programa Tribuna - 21/06/2019

INFORME PUBLICITÁRIO


INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
Boi a Vista R$/@ 135,00
Soja Disponível R$/sc 57,00
Milho Disponível R$/sc 21,70
Algodão R$/@ 90,09
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet