icon Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019

O BOOM DA NOTÍCIA - A | + A

MUNICÍPIO EM ALERTA VERMELHO 17.07.2019 | 12h:00

Só em Sorriso, 27 homens foram presos por violência e mil mulheres pediram proteção

Por: Rafael Medeiros - O Bom da Notícia

Reprodução

Reprodução

De janeiro a julho de 2019 foram presos 27 homens, acusados de violência doméstica no município de Sorriso (a 420 km de Cuiabá).

 

Conforme dados do Tribunal de Justiça, mais de mil mulheres que vivem na cidade possuem medidas protetivas. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade possuí um pouco mais de 87 mil habitantes. 

 

Em Sorriso, neste ano, cinco mulheres já foram assassinadas. Todos os crimes tiveram as autorias esclarecidas e a maioria não foi tipificada no crime de feminicídio. [relembre os casos no final da matéria] 

 

De acordo com um estudo realizado na área da psicologia, as mulheres, vítimas de violência doméstica levam de 9 a 10 anos para romper a relação com o companheiro agressor, tempo que pode ser determinante para que ela torne-se uma vítima em potencial de feminicídio.

 

A constatação levou a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso de Várzea Grande a colocar um alerta nos casos denunciados na delegacia e a desenvolver um projeto voltado para conversar com homens. O alerta nos inquéritos é uma etiqueta vermelha, que é colocada após descoberta que a vítima tem mais de uma ocorrência contra o mesmo agressor. Logo que a mulher procura a unidade, o policial toma o cuidado de esmiuçar o fato, na confecção do boletim. 

 

Em seguida, faz levantamento sobre aquela vítima, para identificar se ela tem outras denúncias contra o mesmo homem. “Quando identifica que a vítima tem mais de uma ocorrência, já trabalhamos com a situação de alerta. Nesse caso, a vítima segue direto para os delegados, que vão analisar e ver quais procedimentos que podem ser adotados, se é caso de medida protetiva, se já tem ou teve medidas, a possibilidade de pedido de prisão, e encaminhamento da vítima para casa de amparo. Isso quando existe risco”, explica o delegado Cláudio Sant’Anna, titular da delegacia. 

 

Atento a pesquisas nacionais, o delegado percebeu que as mulheres têm consciência da Lei Maria da Penha, mas os homens pouco sabem dos mecanismos da legislação. Por conta disso, passou a conversar com o público masculino junto a empresas e a partir daí desenvolveu o projeto “Papo de Homem para Homem”. A proposta do projeto é levar orientação e buscar conscientização do agressor, para que ele possa entender padrões de condutas machistas que levam à violência contra as parceiras.

 

Números alarmantes

 

Somente neste ano, 49 mulheres foram assassinadas por homens em Mato Grosso. Os dados de feminicídio são assustadores: dos 207 homicídios registrados no Estado no primeiro trimestre deste ano, 24 envolvem vítimas femininas e 12 foram identificados como feminicídios.

 

Na tentativa de fortalecer a conscientização sobre o tema, o Ministério Público de Mato Grosso iniciou uma campanha para estimular as denúncias de violência doméstica. 

 

UM CRIME SEGUIDO DO OUTRO 

 

O agressor é, na maioria das vezes, socialmente uma pessoa boa, tanto que as testemunhas indicadas as vezes relatam que jamais imaginavam que ele seria capaz de fazer aquilo. A maioria é socialmente benquista

Em 7 de julho, Uelton Rodrigues de Jesus, 42 anos, assassinou Maria Domingas Elias de Anunciação, 35 anos, na zona rural de Primavera do Leste. Além de matar a companheira, o homem tentou tirar a vida do filho do casal, de 15 anos. A vítima foi morta a facadas e já havia três boletins de ocorrência contra o agressor.

 

No dia 9 de julho, Marcos Rogério Lima, de 33 anos, se matou com um tiro na cabeça após assassinar a ex-mulher, Débora de Oliveira Silva, 27 anos, no distrito industrial de Caravágio, próximo da cidade de Sorrido-MT. Marcos fez um disparo de espingarda, calibre 20, no rosto da vítima. O casal conviveu por 14 anos e tinha 3 filhos, se separou em junho. 

 

Débora já tinha registrado uma ocorrência de ameaça contra o ex-marido, pedindo medidas protetivas. Mas este fato não impediu que Marcos planejasse o assassinato dela. Na manhã de domingo ele fez uma postagem nas redes sociais, quando deu a entender que ia tirar a própria vida. 

 

O terceiro feminicídio aconteceu em Várzea Grande, no dia 10 de julho. Luciana Aparecida da Silveira, 32 anos, foi encontrada morta asfixiada em um quarto de hotel. Daniel Domingos Mendes, 39 anos, morreu após se enforcar com uma corda um dia após cometer o crime. Ele teria atraído a vítima com mensagens amorosas e ilusórias. 

 

O casal viveu junto dois anos. Espancada até a morte, Bruna Francisca da Silva, 23 anos, foi encontrada pela mãe, nos fundos da residência, na zona rural do município de Campo Verde (a 134 km de Cuiabá). O rosto da vítima ficou desfigurado. Paulo André, de 36 anos, fugiu, mas acabou preso pela Polícia Militar, que encontrou o homem tentando sair da cidade. Paulo foi preso ainda em flagrante.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
LEITE R$/l 1,08
MILHO DISPONÍVEL R$/sc 29,90
PLUMA DISPONÍVEL R$/@ 79,87
PREÇO DO SUÍNO VIVO R$/kg 4,62
VACA GORDA À VISTA R$/@ 182,28
BOI GORDO À VISTA R$/@ 195,11
SOJA DISPONÍVEL R$/sc 78,75
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet