icon Sábado, 24 de Agosto de 2019

O BOOM DA NOTÍCIA - A | + A

OUTRO IMBRÓGLIO JUDICIAL 19.06.2019 | 18h:46

Tribunal determina que João Emanuel devolva R$ 55,2 mil ao erário

Por: O Bom da Notícia

Gláucia Almeida / O Bom da Notícia

 Gláucia Almeida / O Bom da Notícia

O polêmico ex-vereador por Cuiabá, João Emanuel, se envolveu em mais um imbróglio judicial. Após ter ficado três anos preso no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), ele agora foi condenado a restituir R$ 55.265,46 ao erário em razão de pagamento de juros e multas por atraso de recolhimento previdenciário ao INSS, de 2013.

 

João Emanuel usa tornozeleira eletrônica e tem restrições por conta das medidas cautelares. É proibido, por exemplo, de frequentar bares e de sair de casa após às 21h. Cassado por corrupção, responde a processo por estelionato após ter montado uma empresa de fachada, a Soy Group, que teria aplicado golpes financeiros na ordem de R$ 50 milhões, em falsos investimentos na China. 

 

A decisão da restituição foi tomada pelo Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso, que na sessão extraordinária de desta semana[18/06] julgou irregular a Tomada de Contas ordinária, na época em que era presidente da Câmara de Vereadores de Cuiabá. 

 

O ex-gestor também foi condenado a pagar multas que totalizam 28 UPFs, sendo 11 UPFs pelo não recolhimento das cotas de contribuição previdenciária descontadas dos segurados à instituição devida; 6 UPFs pela não retenção de tributos por ocasião dos pagamentos a fornecedores; e 11 UPFs por desvio de bens ou recursos públicos. Por esta última irregularidade também foi multada em 11 UPFs a ex-contadora Ediane Auxiliadora Martins Gugel. 

 

Durante a sessão, o relator da Tomada de Contas Ordinária, conselheiro substituto Luiz Carlos Pereira, alterou oralmente o seu voto para acolher a sugestão do conselheiro interino Luiz Henrique Lima, a fim de incluir determinação à atual gestão da Câmara Municipal no sentido de que, ao regularizar os valores referentes ao montante descontado e não repassado aos órgãos previdenciários, adote providências para cobrar do responsável os valores referentes aos juros e multas decorrentes do atraso nos recolhimentos. 

 

Acolheu ainda a sugestão do conselheiro interino Isaias Lopes da Cunha, no sentido de que o levantamento dos valores devidos aos órgãos previdenciários (INSS e Cuiabá-Prev) seja realizado pelo atual gestor no prazo de 180 dias. O voto do relator, que acolheu parcialmente parecer do Ministério Público de Contas, foi aprovado por unanimidade com os acréscimos indicados.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































INFORME PUBLICITÁRIO


INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
Algodão R$/@ 90,09
Soja Disponível R$/sc 57,00
Milho Disponível R$/sc 21,70
Boi a Vista R$/@ 135,00
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet