icon Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019

POLÍCIA - A | + A

VEJA VÍDEO 22.11.2019 | 15h:25

Agente que agredia e mantinha em cárcere privado mulher e filho tem preventiva decretada

Por: O Bom da Notícia

Rede Social

Rede Social

Foi convertida em preventiva, a prisão em flagrante do agente prisional Edson Batista Alves de 35 anos, que espancou a companheira e o filho dela de 6 anos, que teve um dos braços quebrados. Mãe e filho eram mantidos em cárcere privado, em Cuiabá, e submetidos a sessões de espancamento e tortura há duas semanas.

 

Segundo relato da mãe, Edson colocava a cabeça da criança no vaso sanitário e dava descargas, tentando afogá-la. O sofrimento dos dois só terminou na noite de quarta-feira (20), quando ela conseguiu escapar do agressor, enquanto estavam na casa de uma amiga dele. Acionou um motorista de aplicativo e conseguiu chegar a uma base da Polícia Militar. 

 

O agente, que já tem antecedentes por violência doméstica, é monitorado por tornozeleira eletrônica e foi preso ao ser reconhecido “rondando” a Central de Flagrantes, para onde a companheira e o enteado haviam sido levados. Em depoimento, a vítima, 31 anos, relatou que se relaciona com o suspeito há 3 meses.

 

Moradora de Rondonópolis (a 212 km de Cuiabá), veio para Cuiabá para morar com o agente há duas semanas. Mas há um mês já havia sido agredida por ele com socos e chutes. Não registrou ocorrência na ocasião e o perdoou porque ele prometeu que nunca mais faria aquilo. Mas foi só mudar para a casa dele, no bairro Alvorada, que as agressões recomeçaram.

 

Passou a ser vigiada e não podia sair de casa. A chamava de “vagabunda”, dizendo que ela não prestava e que ela iria “pagar pelo seu passado”. Quando decidiu voltar para Rondonópolis, foi impedida. Ele chegou a dizer que se ela fosse embora ele iria matá-la e quem estivesse por perto dela. Entre as formas de agressões estavam banhos com água muito quente, vassouradas na cabeça, chicoteadas com fios de celular e cabeça batida contra paredes. 

 

A vítima tinha certeza que se não conseguisse escapar, ela e o filho seriam mortos por Edson, já que ele dizia possuir arma de fogo. Em depoimento ao delegado Sued Dias da Silva Júnior, Edson preferiu se manter calado.

 

Em nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) informou que o servidor teve o porte de arma suspenso, cautelarmente, em julho deste ano, por ter sido preso em maio, acusado de violência doméstica. 

 

O agente penitenciário também foi removido do Serviço de Operações Especiais (SOE) do sistema penitenciário. Não consta processo administrativo disciplinar, pois a prisão não foi praticada no exercício da função. (Com informações de Silvana Ribas)

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
PLUMA DISPONÍVEL R$/@ 79,87
LEITE R$/l 1,08
VACA GORDA À VISTA R$/@ 182,28
PREÇO DO SUÍNO VIVO R$/kg 4,62
MILHO DISPONÍVEL R$/sc 29,90
SOJA DISPONÍVEL R$/sc 78,75
BOI GORDO À VISTA R$/@ 195,11
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet