icon Domingo, 21 de Julho de 2019

POLÍCIA - A | + A

VEJA VÍDEO 11.07.2019 | 09h:25

Mulher morta retirou três medidas protetivas contra seu agressor; vídeo mostra casal fazem o check-in

Por: Rafael Medeiros - O Bom da Notícia

Reprodução

Reprodução

A Polícia Civil descobriu após perícia no celular de Luciana Aparecida da Silveira, 32 anos, encontrada morta asfixiada, na última quarta-feira (10), em um quarto de hotel, em Várzea Grande, mensagens que podem comprovar que o crime foi premeditado pelo ex-companheiro.

 

Daniel Domingos Mendes, 39 anos, que também morreu, após se enforcar com uma corda, teria atraído a vítima com mensagens amorosas e ilusórias. O casal viveu junto dois anos. 

 

Imagens repassadas pela Polícia Civil, mostram Daniel em três cenas, e Luciana em duas. Primeiro, na recepção, ele pega o quarto para uma das atendentes. Em seguida, o casal é visto pegando a chave do quarto e por fim, aparecem no pátio do hotel. [vídeo no final da matéria] 

 

Segundo o delegado Cláudio Alvares Sant’ana, da Delegacia de Defesa da Mulher, Luciana - que possuía três medidas protetivas contra o homem - foi ouvida no último mês de junho, onde pediu - de forma espontânea - a retirada das medidas protetivas contra Daniel. 

 

São 48 mulheres assassinadas este ano em MT

Apesar de decisões como da diarista, o delegado assegura que a culpa do feminicídio não deve ser atribuída à vítima, que muitas vezes até por pena ou com o objetivo de tentar reconstruir o relacionamento, aceita conviver novamente com o agressor. "Este tipo de crime faz parte de um círculo de violência que não acaba. As agressões sempre vão evoluir, até acabarem no feminicídio", disse o delegado.

 

Houve relação sexual

 

As investigações da Polícia Civil dão conta que Luciana manteve relação sexual com o assassino, pouco antes de morrer. Segundo a delegada Eliane Moraes, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a vítima estava vestida e coberta. Porém, vestígios indicam que a vítima manteve relação sexual com o assassino, antes de ser morta. No quarto havia camisinha e sêmen de Daniel. 

 

A polícia acredita que a mulher foi assassinada no momento em que se negou a retomar o relacionamento.

 

Atraída à morte


Na última segunda-feira (8), dia da morte, Daniel insistiu para que Luciana aceitasse vê-lo mais uma vez. Por volta das 10h45, a vítima deixou a casa no bairro El Dourado, em Várzea Grande, saindo sem levar o celular.

 

Segundo a polícia, o encontro seria em um motel, porém, Daniel a convenceu a ir para o Hotel Trevo, onde já havia atuado lá fazendo pinturas. 

 

Já de acordo com os funcionários do hotel, nenhum barulho foi ouvido enquanto o casal estava junto. A polícia acredita que Luciana morreu estrangulada na segunda-feira (8), já que o corpo, quando encontrado na quarta-feira (10), estava em avanço de decomposição. 

 

 

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































PROGRAMA TRIBUNA VEJA MAIS

O Bom da Notícia Programa Tribuna - 16/07/2019

INFORME PUBLICITÁRIO


INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
Boi a Vista R$/@ 135,00
Soja Disponível R$/sc 57,00
Milho Disponível R$/sc 21,70
Algodão R$/@ 90,09
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet