icon Domingo, 17 de Novembro de 2019

POLÍTICA - A | + A

DOIS MESES DE PARALISAÇÃO 31.07.2019 | 09h:44

Após decisão da Justiça, Sintep diz que só proposta encerra greve

Por: Rafael Machado - O Bom da Notícia

Sintep MT

Sintep MT

A direção do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) divulgou, por meio de nota, que a greve geral da categoria continuará por tempo indeterminado mesmo após a decisão da Justiça que determinou o retorno das aulas em 72 horas.

 

“A direção do Sintep/MT esclarece que a decisão não muda em nada a luta da categoria. A greve geral por tempo indeterminado somente será suspensa por decisão da Assembleia Geral”, diz trecho da nota divulgada na noite desta terça-feira (30).

 

A desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Maria Erotides Kneip, declarou abusividade do movimento e determinou o retorno dos grevistas em três dias, sob pena de multa diária de R$ 150 mil.

 

O Sintep destaca que após ser intimado da decisão apresentará o recurso necessário “confiante de que a Justiça será feita e a liminar será cassada”.

 

O ex-presidente e atual secretário do Sintep, Henrique Lopes, comentou nas redes sociais que espera que o governo não caia no equívoco em acreditar que a decisão irá encerrar a greve. Ponderando que é a apresentação de uma proposta concreta que encerra o movimento.

 

“Está determinando que o Sintep apresente um calendário de reposição. Quando a greve acabar, vamos orientar que seja feito sem os cansativos e improdutivos sábados e feriados”, diz trecho da sua manifestação nas redes sociais após a decisão da desembargadora.

 

Henrique ainda frisa que toda decisão judicial cabe recurso até trânsito e julgado. Apontando que praticamente em todas as greves da categoria o Judiciário de Mato Grosso se manifestou favorável ao Estado, exceto a de 2016. 'Contudo, nosso parâmetro para decisão ou não sobre a entrada e/ou suspensão do movimento é a assembleia geral da categoria. Lembrando que a greve de 2013, que institui a política da dobra do poder de compra, foi declarada abusiva com 14 dias, porém só foi suspensa após 67 dias. Assim, esperamos que o governo não caia no equívoco em acreditar que a decisão judicial seja determinante para encerrar a greve. A categoria já demonstrou sua capacidade de resistência, mesmo com praticamente dois meses de salário cortado. Pois o que encerra greve é proposta'.

  

A direção convocou o Conselho de Representantes da categoria - caso não haja uma proposta concreta por parte do governo, dentre elas a garantia de que serão pagos os salários que foram cortados. -, a realização de um ato público para o dia 5, que poderá ser convertido em Assembleia Geral.

 

Os servidores da rede estadual de Educação estão em greve desde o dia 27 de maio. Eles cobram o cumprimento da Lei Complementar 510/13 que trata sobre o reajuste salarial, que para este ano é previsto 7,69%. O governador Mauro Mendes (DEM), nos últimos meses, tem destacado que o estado está impossibilitado de conceder o aumento por estar acima do teto estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), 49%, com gastos salariais.

 

No entanto, durante uma reunião com deputados estaduais e federais no Palácio Paiaguás, na segunda-feira (29), o governador disse que aguarda um estudo que está sendo feito pela equipe técnica para avaliar o cenário financeiro após aprovação do Projeto de Lei Complementar (PLC n° 53) que foi aprovada na última semana pela Assembleia que prevê revisão dos incentivos fiscais e altera o modelo de cobrança de ICMS no Estado.

 

Veja na íntegra a nota do Sintep e a manifestação do ex-presidente do Sindicato, Henrique Lopes:

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA DECISÃO LIMINAR SOBRE A GREVE

 

A Direção do Sintep/MT torna público que tomou conhecimento pela imprensa do teor de liminar declarando a abusividade do movimento grevista na educação pública estadual.

 

Consideramos que a decisão liminar causa insegurança jurídica na medida em que autoriza, por via obliqua, o descumprimento de lei válida e eficaz.
A Direção do Sintep/MT esclarece que a decisão não muda em nada a luta da categoria. A greve geral por tempo indeterminado somente será suspensa por decisão da Assembleia Geral.

 

Nesse sentido, o SINTEP/MT convocou o Conselho de Representantes da categoria para os dias 03 e 04 de agosto e ato público para o dia 05, que poderá ser convertido em Assembleia Geral, caso o Governo apresente proposta que respeite a conquista da categoria estabelecida na Lei 510/2013 e pague de forma imediata os salários cortados.

 

Destacamos que toda decisão judicial cabe recurso. Tão logo seja intimado, o SINTEP/MT apresentará os recursos pertinentes, confiante de que a Justiça será feita e a liminar será cassada.

 

A Direção do Sintep/MT lembra que, historicamente, em todas as greves deflagradas pela categoria, ao longo de seus 54 anos de lutas e conquistas, o Poder Judiciário de Mato Grosso tem se manifestado favorável ao Estado, com exceção de 2016. A greve de 2013 que resultou na política da DOBRA DO PODER DE COMPRA, foi declarada abusiva com 14 dias, porém só foi suspensa após 67 dias, com a apresentação do projeto de lei que resultou na lei 510/2013.

 

As conquistas dos/as trabalhadores/as da educação foram consolidadas pela própria luta da categoria.

 

A Direção

 

Sintep Livre, Democrático e de Luta!

 

OBSERVAÇÕES SOBRE O ATUAL MOMENTO DA GREVE

 

Toda decisão judicial cabe recurso até trânsito e julgado.

 

Praticamente em todas as nossas greves o judiciário/MT, se manifestou favorável ao estado, exceto a de 2016. Contudo, nosso parâmetro para decisão ou não sobre a entrada e/ou suspensão do movimento de GREVE é a assembleia geral da categoria. Lembrando, que a greve de 2013 que institui a política da DOBRA DO PODER DE COMPRA, foi declarada abusiva com 14 dias, porém só foi suspensa após 67 dias.

 

Esperamos que o governo não caia no equívoco em acreditar que a decisão judicial seja determinante para encerrar a greve. A categoria já demonstrou sua capacidade de resistência, mesmo com praticamente 2 meses de salário cortado.


O que encerra greve é proposta.

 

PS: Consegui visualizar um ponto interessante na decisão:

 

Está determinando que o Sintep apresente um calendário de reposição. Quando a greve acabar, vamos orientar que seja feito sem os cansativos e improdutivos sábados e feriados.

 

-CALENDÁRIO DE ATIVIDADES:

 

- Manutencão do acampamento em frente ao Palácio Paiaguás com visitas à outras estruturas do Estado;

 

-Conselho de representantes dias 03 e 04/08;

 

- 05/08: Assembleia geral, caso haja apresentação de proposta pelo governo. Não havendo proposta, ato público.

 

A luta e a greve continuam.

 

Obs: em breve o sintep emitirá nota oficial sobre o assunto.

 

Henrique Lopes

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Gabriel Brito - 04/08/2019

A greve acabou ?

marta - 31/07/2019

um exemplo de defecit no mt prev, é que colocaram tudo na conta unica do governo, ai não sabem de onde vem o dinheiro que fica na conta unica, gastam o dinheiro e o que desconta dos servidores publicos gastam em outra coisa, e assim vai, não tem direção, quando era o ipmat e tinha conta unica funcionava uma blza o plano de saude do estado , depois que entrou o blairo maggi descontrolou tudo. tomara que o mendes coloque a previdencia mt nos trilhos....

2 comentários

1 de 1

LEIA MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































INFORME PUBLICITÁRIO


INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
PREÇO DO SUÍNO VIVO R$/kg 3,74
SOJA DISPONÍVEL R$/sc 71,82
VACA GORDA À VISTA R$/@ 132,07
BOI GORDO À VISTA R$/@ 141,05
MILHO DISPONÍVEL R$/sc 23,17
LEITE R$/l 1,09
PLUMA DISPONÍVEL R$/@ 74,04
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet