icon Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020

POLÍTICA - A | + A

DELAÇÃO PREMIADA 18.07.2019 | 11h:17

Defesa de Zaqueu espera que depoimento seja reconhecido como “delação premiada”

Por: Ana Adélia Jácomo

Gcom-MT

Gcom-MT

Diogo Botelho, advogado de defesa do ex-comandante da Polícia Militar de Mato Grosso, Zaqueu Barbosa  afirmou nesta quinta-feira (18), que espera que o depoimento prestado por seu cliente, em audiência com o juiz Marcos Faleiros, da 11ª Vara Especializada da Justiça Militar de Cuiabá, seja enquadrado no benefício legal na delação premiada.

 

De acordo com ele, Zaqueu trouxe informações “preciosas” à investigação, que visa descortinar o esquema de escutas ilegais, conhecido como “grampolândia pantaneira”, implantado em Mato Grosso durante a gestão do ex-governador Pedro Taques (PSDB). 

 

Botelho afirmou que a defesa já, inclusive, formulou um pedido ao juiz para que todos os depoimentos sejam encaminhados ao procurador-geral de Justiça José Antônio Borges e para o presidente do Tribunal de Justiça (TJ-MT), que tem como autoridade competente para receber o caso e ainda para o desembargador Orlando Perri, responsável no Judiciário, pelas investigações sobre as interceptações ilegais no governo de Taques. 

 

“Crimes desta natureza dependem de colaborações. Durante 2 anos de investigação da ‘grampolândia’, não se chegou até o momento ao verdadeiro mandante dessa orquestra, mas a partir do seu depoimento, efetivamente chegou-se ao líder, ao arquiteto, ao beneficiário direto. Ou seja, o depoimento do Zaqueu foi responsável por descortinar quem foi o líder dessas escutas, por isso a defesa entende que seu depoimento amolda-se ao interesse da delação premiada, que tem como finalidade alcançar informações inalcançáveis pelas vias comuns de investigação”, defendeu o advogado.

 

O depoimento do Zaqueu foi responsável por descortinar quem foi o líder dessas escutas, por isso a defesa entende que seu depoimento amolda-se ao interesse da delação premiada

Durante audiência, Zaqueu Barbosa contou que em agosto de 2014, recebeu ordem direta do ex secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, e do seu primo, o ex-governador Pedro Taques (PSDB), para que iniciasse o esquema da grampos telefônicos. Leia mais detalhes do depoimento AQUI.

 

As denúncias estão sendo realizadas pelos coronéis Zaqueu Barbosa e Evandro Lesco, e pelo cabo da Polícia Militar, Gerson Corrêa. “É preciso esclarecer os beneficiários diretos do esquema, que são Pedro e Paulo Taques, conforme foi relatado em juízo. Efetivamente, eles engendraram as interceptações telefônicas. Zaqueu operacionalizou. (...) O juízo pode receber essas declarações como uma forma de colaboração efetiva, e com isso dispor ao colaborador os benefícios decorrentes da lei”, disse Diogo.

 

Segundo o advogado, “é preciso deixar claro que os policiais envolvidos não tinham qualquer interesse direto ou indireto com aquelas interceptações realizadas. Erraram, confessaram, estão arrependidos e contribuindo com a elucidação dos fatos. Erraram, sim, e não estão negando o erro”. 

 

MOTIVAÇÃO 

 

Segundo o advogado, a motivação para dar início aos grampos veio, segundo ele, pela necessidade que o então senador da República e candidato ao Governo do Estado, Pedro Taques, de se defender de possíveis ataques políticos. Para o advogado, a motivação foi intervir no antigo esquema de corrupção do Estado, liderado por políticos.

 

A ‘grampolândia pantaneira’ ultrapassa a órbita militar, alcança o Ministério Público do Estado, pode alcançar a Polícia Judiciária Civil (PJC). De acordo com os depoimentos dos PMs, dentre os envolvidos estariam o ex-coordenador do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), promotor Marco Aurélio de Castro e o ex-procurador geral do órgão fiscalizador, Paulo Prado, que teria doado, inclusive, a placa Wytron, que pertencia ao Gaeco, antes do Sistema Guardião, para que as interceptações fossem realizadas. 

 

Logo após os depoimentos nesta quarta-feira (17), o procurador-geral José Antônio Borges emitiu um despacho avulso interno, que visa levantar as informações relacionadas a destinação da placa do computador, da marca Wytron, utilizada para realização de escutas telefônicas. 

 

“Sem o depoimento desses militares não haveria qualquer encaminhamento para descontruir a grampolândia. Esse é o cerne da questão. Não fosse, inicialmente, o arrependimento de se apresentaram e disponibilizarem informações valiosíssimas para o fortalecimento da nossa democracia”. 

 

BENEFÍCIOS DA DELAÇÃO 

 

Os prêmios de um acordo de delação podem ir desde a diminuição da pena até o perdão judicial.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
PREÇO DO SUÍNO VIVO R$/kg 4,62
LEITE R$/l 1,08
SOJA DISPONÍVEL R$/sc 78,75
MILHO DISPONÍVEL R$/sc 29,90
PLUMA DISPONÍVEL R$/@ 79,87
VACA GORDA À VISTA R$/@ 182,28
BOI GORDO À VISTA R$/@ 195,11
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet