icon Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2020

POLÍTICA - A | + A

CONTRATAÇÕES TEMPORÁRIAS 13.01.2020 | 18h:00

Juiz torna o prefeito Emanuel Pinheiro réu em ação civil

Por: O Bom da Notícia

Reprodução

Reprodução

O juiz Bruno D’Oliveira Marques, da Vara Especializada em Ação Cível Pública e Ação Popular da Comarca de Cuiabá, determinou que o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) se torne réu em uma ação em que ele é responsabilizado pelo excesso de contratações temporárias na Secretaria Municipal de Saúde. 

 

Além dele, o ex-secretário Huark Douglas Correia também se tornou réu. Huark Douglas foi preso duas vezes pela Operação Sangria, deflagrada Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz). Huark é suspeito de participar de um esquema de fraude em licitações para atendimentos hospitalares. Na segunda vez em que foi preso, em maio de 2019, o ex-secretário acabou confessando os crimes.

  

Município foi notificado a fazer concursos e processos seletivos para efetivos

De acordo com o jornal A Gazeta, a denúncia do Ministério Público contra Emanuel Pinheiro, a gestão do emedebista tem deixado de realizar concurso público para a pasta e tem investido em contratações temporárias, provenientes quase sempre de indicações políticas. “O problema arrasta-se desde 2008, data da primeira investigação, com absoluto desinteresse do município de Cuiabá, representado por seus sucessivos prefeitos e secretários municipais de Saúde, que nunca cumpriram a lei e, mais recentemente, a decisão judicial”, diz trecho da inicial da denúncia. 

 

A situação de descaso e desobediência é evidente, uma vez que as contratações temporárias nunca foram interrompidas, os contratos temporários irregulares são sistematicamente renovados ou novos são celebrados”, conclui.

 

O Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT) em decisão proferida no Processo de Representação de Natureza Externa n.º 25-012-0/2018, publicada 7 de agosto de 2018, chegou a determinar como medida cautelar, a notificação do prefeito de Cuiabá para que suspendesse qualquer espécie de contratação temporária.

  

Magistrado diz que município vem, desde 2008, priorizando os temporários

O próprio TCE, por meio de sua equipe técnica, já havia verificado por meio de informações da própria secretaria municipal que em meados de 2018, existiam 2.657 contratos temporários, correspondendo a quase metade do quadro pessoal da Secretaria Municipal de Saúde. Ocorre que, mesmo com as decisões do TCE e do TJMT, o governo municipal continuou realizando e mantendo as contratações, uma medida que o Ministério Público classificou como uma ação realizada por “descaso, descuido, péssima gestão e inquestionável dolo”.

 

Outro lado

 

Em nota a assessoria de imprensa da prefeitura de Cuiabá informou que em 2019 o prefeito Emanuel Pinheiro atendeu à determinação do TCE e realizou o processo seletivo da Secretaria Municipal de Saúde - SMS, bem como de várias outras secretarias. Os profissionais contratados da SMS, segundo a assessoria, estão sendo substituídos gradativamente, mês a mês, por aqueles que passaram no seletivo, com “muita precaução e responsabilidade” para que não haja uma descontinuidade de serviço. A assessoria também lembrou que a determinação de realização do concurso público também já está sendo cumprida, uma vez que o edital está em fase de montagem.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
LEITE R$/l 1,08
SOJA DISPONÍVEL R$/sc 78,75
PLUMA DISPONÍVEL R$/@ 79,87
VACA GORDA À VISTA R$/@ 182,28
MILHO DISPONÍVEL R$/sc 29,90
PREÇO DO SUÍNO VIVO R$/kg 4,62
BOI GORDO À VISTA R$/@ 195,11
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet