icon Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

POLÍTICA - A | + A

R$ 82 MILHÕES 18.09.2019 | 09h:07

Mendes 'bate o martelo' e diz que HMC está equipado e não repassará verba à Pinheiro

Por: Rafael Medeiros /Marisa Batalha - O Bom da Notícia

Reprodução

Reprodução

O governador Mauro Mendes (DEM) assegurou nesta última terça-feira (18), em conversa com jornalistas, que não irá repassar à Prefeitura de Cuiabá os R$ 82 milhões que, em princípio, seriam para equipar o novo Hospital de Cuiabá, por meio de emendas parlamentares.

 

Ao lembrar que ainda em 13 de junho de 2017, acabou sendo acordado em reunião entre Emanuel Pinheiro (MDB) e o ex-governador tucano Pedro Taques, com os deputados federais de Mato Grosso, em Brasília, que este aporte ficaria com o Estado, para quitar pendências na Secretaria de Estado de Saúde. Sob a promessa que Taques repassaria a verba, à Capital, por meio de 23 parcelas, o que acabou não ocorrendo.

 

Em junho de 2017 acabou sendo acordado, em reunião entre Emanuel Pinheiro (MDB) e o ex-governador tucano Pedro Taques, com os deputados federais de Mato Grosso, em Brasília, que este aporte ficaria com o Estado, para quitar pendências na Secretaria de Estado de Saúde

Mas como os recursos seriam para equipar o pronto-socorro, que estava sendo construído dentro do novo Hospital Municipal de Cuiabá e isto já ocorreu, Mendes, não vê, portanto, mais necessidade deste repasse já que não existe a necessidade de adquiri-los novamente. "Ele vai comprar equipamentos de novo? Vai colocar onde este dinheiro? Depois Blairo Maggi conseguiu R$ 100 milhões para comprar estes equipamentos para Cuiabá. Então ele quer este R$ 82 milhões para que?”, ainda revelou Mendes.


“Vale lembrar que Pinheiro abriu mão disso. O Blairo Maggi conseguiu R$ 100 milhões para comprar o equipamento para Cuiabá. Então ele quer este R$ 82 milhões para que? O objeto inicial era para comprar equipamentos. [...] ele tem que mostrar claramente onde ele vai comprar este equipamento. Porque fora dados R$ 100 milhões para comprar equipamentos. Comprou ou não comprou os equipamentos?”, ainda questionou o governador. 

 

Os R$ 100 milhões do governo federal usados na equipação do HMC foram, na verdade, assegurados pelo senador Wellington Fagundes (PL) e pelo ex-ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP), já no fim do mandato do ex-presidente da República Michel Temer (MDB).

 

A declaraçãodo do governador Mauro Mendes foi feita na entrega da aeronave modelo Chayenne II XL que entra em operação no Ciopaer. Quando Mendes ainda garantiu à imprensa que o Estado tem compromissos com os 141 municípios, 'e que o dinheiro será utilizado de forma correta.' 

 

Entenda o caso

 

Em outubro de 2017, em reunião realizada em Brasília entre o prefeito emedebista Emanuel Pinheiro e o ex-governador tucano Pedro Taques com a bancada federal de Mato Grosso, foi decidida a aplicação das emendas impositivas em favor do Estado. O imbróglio já vinha irritando o gestor emedebista, sobretudo, a mudança de posicionamento em favor de Taques, pelos parlamentares.

 

Na época, Pinheiro chegou a acusar a bancada de falta de 'compromisso com a capital'. Porque a mudança teria colocada um 'balde de água fria' ao desejo de Pinheiro em entregar todo o espaço da nova unidade de saúde em abril de 2018.

 

A queda de braço se acirrou tanto que ainda em outubro (no dia 20), durante a Caravana da Transformação, em Tangará da Serra (240 km de Cuiabá), o deputado tucano, na época, Nilson Leitão, criticou severamente Pinheiro, acusando-o de fazer “politicagem” com o assunto.

 

“Emanuel reclama que Estado não tem dinheiro, mas quem está construindo o Pronto-Socorro é o Governo do Estado, e a obra só tem 46% pronta. Está fazendo politicagem com o assunto. Não vamos tratar isso como cavalo de batalha”, declarou ainda Leitão.

 

A mudança na destinação do aporte acabou servindo para que Taques pudesse quitar dívidas acumuladas na saúde estadual. As emendas impositivas da bancada totalizavam R$ 156 milhões. Deste total, R$ 82 milhões seriam repassados diretamente para a Prefeitura de Cuiabá, com o intuito de equipar o novo Pronto-Socorro, construído dentro das dependências do HMC.

 

Mas, a pedido de Pedro Taques, e aceito pelo prefeito cuiabano, os parlamentares destinaram os recursos das emendas para o custeio da saúde pública ainda no ano de 2017, repassando R$ 50 milhões aos municípios do Estado para atenção básica.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































VÍDEOS VEJA MAIS




icon COTAÇÕES MT
PREÇO DO SUÍNO VIVO R$/kg 3,74
MILHO DISPONÍVEL R$/sc 23,17
LEITE R$/l 1,09
BOI GORDO À VISTA R$/@ 141,05
VACA GORDA À VISTA R$/@ 132,07
SOJA DISPONÍVEL R$/sc 71,82
PLUMA DISPONÍVEL R$/@ 74,04
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet