Sábado, 18 de Maio de 2024

AGRO & ECONOMIA Sexta-feira, 18 de Novembro de 2022, 16:31 - A | A

Sexta-feira, 18 de Novembro de 2022, 16h:31 - A | A

O Boletim do Leite de novembro já está disponível!

CEPEA

Cepea, 18/11/2022 - Nesta edição, confira:

Leite ao produtor segue em desvalorização; ano deve se encerrar com preços em queda

Pesquisa do Cepea mostra que o preço do leite captado em setembro e pago aos produtores em outubro foi de R$ 2,8481/litro na “Média Brasil” líquida, recuo de 6,5% frente ao do mês anterior. Essa foi a segunda queda consecutiva no campo, mas o valor ainda ficou 15,5% superior ao registrado em outubro do ano passado, em termos reais (as médias mensais foram deflacionadas pelo IPCA de outubro/22). E a expectativa de agentes consultados pelo Cepea é de que esse movimento de desvalorização persista até o final do ano, ainda que em menor intensidade.

Demanda por derivados lácteos se desaquece em outubro
Os preços dos derivados lácteos seguiram em queda em outubro, sobretudo devido ao enfraquecimento da demanda. Segundos agentes de mercado consultados pelo Cepea, houve aumento na disponibilidade de matéria-prima no campo, elevando a captação na indústria e reduzindo os custos com a produção de lácteos. Apesar dessa recuperação na oferta de leite, a pressão sobre as cotações vem do consumo retraído na ponta final da cadeia. 

Importações caem após cinco meses de alta
Depois de cinco meses registrando altas consecutivas nos volumes de lácteos importados, em outubro, o total adquirido pelo Brasil recuou 15,4% frente ao mês anterior, com volume somando 172,3 milhões de litros em equivalente leite, segundo dados da Secex. Ainda assim, é importante destacar que a quantidade internalizada de lácteos em outubro permanece em patamar bastante elevado, estando 80,8% acima da quantidade importada no mesmo mês de 2021.

Custo recua pelo 4º mês seguido, mas, no ano, ainda acumula avanço de 3% 
O Custo Operacional Efetivo (COE) da pecuária leiteira recuou ligeiro 0,08% em outubro na “Média Brasil” (que considera as variações nos estados da BA, GO, MG, PR, RS, SC e SP.), sendo este o quarto mês consecutivo de baixa. Ainda assim, no acumulado de 2022, o COE apresenta aumento de 3,04%. 

Fonte: CEPEA