Sábado, 13 de Julho de 2024

AGRO & ECONOMIA Quinta-feira, 18 de Maio de 2023, 10:03 - A | A

Quinta-feira, 18 de Maio de 2023, 10h:03 - A | A

Prates reclama de demora dos postos para baixar o preço do combustível

Economia

Jean Paul Prates, presidente da Petrobras, em evento remoto com funcionários da estatal
Reprodução/Twitter - 02/03/2023

Jean Paul Prates, presidente da Petrobras, em evento remoto com funcionários da estatal

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, reclamou nesta quarta-feira (17) da demora dos postos de combustível para reduzir a margem de lucro após a estatal anunciar queda no preço do diesel e da gasolina. Ele classificou a situação como "chata", em entrevista à GloboNews.

Ele explicou que mesmos os postos com bandeira BR, que não são mais da empresa petrolífera brasileira, costumam a demorar a repassar os preços.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o perfil geral do Portal iG

"É chato, porque a Petrobras na porta da refinaria reduz o preço, e depois aparece alguém no posto e diz: 'não chegou aqui'. A Petrobras, em alguns momentos, ela tem no diesel, por exemplo, 51% de participação no preço final e, na gasolina e GLP, é de um terço. O resto são os outros componentes, que são fiscalizados em diferentes instâncias", explica.

Na última quarta-feira, o preço do diesel, da gasolina e do gás de cozinha foram reduzidos pela Petrobras.

  • gasolina: - R$ 0,40 por litro (-12,6%)
  • diesel A: - R$ 0,44 por litro (-12,8%)
  • GLP: - 8,97 por botijão de 13 kgs (-21,3%)

    De acordo com Brendon Rodrigues, Head de inovação e portfólio na ValeCard, empresa especializada na gestão de frotas, o impacto dessa medida deve demorar a ser sentido pelos consumidores.

    “Quando ocorre um aumento de preço, o repasse para os consumidores acontece quase que de imediato. Mas em casos de redução, como este, por questões de estoque e mediação de preço, estima-se que leve até 15 dias para que haja um reflexo relevante nas bombas”, explica.

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse nesta quarta-feira (17) que a Agência Nacional de Petróleo (ANP) irá fiscalizar postos de gasolina para garantir a redução dos preços dos combustíveis nas bombas.

Além da ANP, a Senacon também vai acompanhar a redução nos postos.


Fonte: Economia