Segunda-feira, 22 de Julho de 2024

AGRO & ECONOMIA Quarta-feira, 28 de Junho de 2023, 09:01 - A | A

Quarta-feira, 28 de Junho de 2023, 09h:01 - A | A

Volkswagen para produção de carros no Brasil: 'Estagnação de mercado'

Economia

Fábrica da Volkswagen em Taubaté (SP)
Divulgação/Volkswagen

Fábrica da Volkswagen em Taubaté (SP)

A Volkswagen anunciou nesta terça-feira (27) que irá suspender temporariamente a produção de carros nas fábricas brasileiras por "estagnação do mercado" nacional.

A decisão ocorre dias depois do programa do governo federal de promover descontos em carros de até R$ 120 mil, que deveriam estimular o setor.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o perfil geral do Portal iG

A Volks informou que a fábrica de São José dos Pinhais (PR), onde é produzido o T-Cross, está com um turno em layoff (modelo de suspensão temporária de trabalho) desde o dia 5 de junho deste ano, com previsão de durar entre 2 e 5 meses.

Na mesma unidade, a paralisação entrou em vigor na segunda-feira (26) e a produção seguirá suspensa até sexta-feira (30), em regime de banco de horas.

Já na planta de Taubaté (SP), onde são fabricados o Polo Track e o Novo Polo, os dois turnos foram interrompidos nesta semana.

Na unidade Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), onde são produzidos o Novo Virtus, Novo Polo, Nivus e Saveiro, foram dadas férias coletivas de dez dias, previstas para os seus dois turnos de produção, a partir do dia 10 de julho.

De acordo com a empresa, "todas as ferramentas de flexibilização estão previstas em Acordo Coletivo firmado entre o sindicato e colaboradores da Volkswagen”.

A Volkswagen pediu R$ 60 milhões em créditos tributários do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) para baratear o preço dos seus carros.

Ao todo, 84% dos recursos destinados ao programa já foram consumidos. Segundo o MDIC, até o momento, os créditos autorizados foram divididos da seguinte forma:

  • FCA Fiat Chrysler: R$ 170 milhões;
  • Volkswagen: R$ 60 milhões
  • Renault: R$ 50 milhões;
  • Peugeot Citroën: R$ 40 milhões;
  • Hyundai: R$ 40 milhões;
  • General Motors: R$ 20 milhões;
  • Nissan: R$ 20 milhões;
  • Honda: R$ 10 milhões;
  • Toyota: R$ 10 milhões.

Fonte: Economia