Quinta-feira, 13 de Junho de 2024

ARTIGOS Quinta-feira, 26 de Novembro de 2020, 07:56 - A | A

Quinta-feira, 26 de Novembro de 2020, 07h:56 - A | A

Igor Gabriel

Desastres de 4ª Divisão Nacional. MT muito mal representado!

Igor Gabriel
[email protected]

O torcedor aposta em uma atuação de gala dos clubes mato-grossenses na série D do Campeonato Brasileiro de 2020, depositamos a maior fé e confiança, para chegar lá com a desculpa da pandemia e das eleições, não foi possível ter um investimento devido ou foco no trabalho, infelizmente deixou a desejar!

Desperdiçar a chance de disputar uma competição nacional, depois de realizar um belíssimo campeonato estadual e passar vergonha com “V” maiúsculo.

É muito triste isso, não poderia deixar passar abatido a forma como o Operário de Várzea Grande, União de Rondonópolis e Sinop atuaram no nacional.Para nossa imagem, e principalmente da nossa Federação, o Luverdense rebaixado da série C, acabara desistindo de disputar o brasileiro, sendo assim o Galo do Norte (Sinop) escolhido e com jogadores em seu elenco para atuar.

Claro, a pandemia fez com que os contratos fossem cancelados do estadual desse ano, mas poderiam negociar com alguns jogadores para permanecer no mesmo elenco, porém, nada resolvido.

Quando falo que o Cuiabá é a referencia de organização para clubes de futebol do estado mato-grossense, muitos descordam e me surram com suas opiniões. Mesmo eu sendo um defensor da democracia, devemos acordar para realidade. Se a CBF exigir dos estados e suas federações a aplicação severa do PROFUT – Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro, vários clubes do Brasil e de Mato Grosso, estariam com a falência decretada.

É obvio que não da mais pra aceitar tanto amadorismo, tanto desmando, tanta irresponsabilidade dos clubes e uma tremenda falta de respeito com o torcedor. O que eu acho disso, uma profunda tristeza, em ver a atual realidade, só um clube se destacando na série B, e nenhum se dando bem na 4ª divisão nacional.

Será que deveremos nascer de novo para que o futebol da nossa terra possa voltar a ser forte? Nos que ouvimos tantos relatos dos nossos pais e avós, sobre a beleza que foi o futebol mato-grossense nas décadas passadas, quando o Verdão de fato recebia uma torcida que fazia eco nas arquibancadas.

Tudo isso acabou, até aqueles 3 mil que iam fielmente em época de clássicos entre o final dos anos 90 e inicio do ano 2.000.

É revoltante! Mas não podemos mesmo assim perder a esperança, desacreditar do produto futebol mato-grossense, mas precisa reciclar, precisa de renovação, se não renovar, é sinal que não tem confiança, se não confia, pode fechar as portas!

Igor Gabriel atua na Rádio Paiaguás no Governo de Mato Grosso