Sexta-feira, 21 de Junho de 2024

ARTIGOS Sábado, 10 de Outubro de 2020, 10:28 - A | A

Sábado, 10 de Outubro de 2020, 10h:28 - A | A

Sani Neves

Se fosse eu?

Sani Neves

E se essa dor fosse minha?
 
E se essa vontade de ficar isolada e não fazer nada, dia após dias, no quarto escuro, quieta(o), suja (o), muda(o), calada(o), chorando, sem energia, sem forças, sem alegria, fosse minha?
 
E se as lágrimas a serem contidas fossem em meus olhos? 
 
E se a pessoa sem esperança e decidida a tirar a própria vida, porque já não suporta tanto sofrimento, deseperançosa, triste e convencida que apesar, do trabalho, da familia, dos filhos e dos amigos, essa é a melhor saída, fosse eu?
 
E se a pessoa que come compulsivamente, mesmo sabendo que o sobrepeso afetará a sua saúde, que o diabetes está descontrolado, que o colesterol está absurdamente elevado, que não se sentirá bem ao se olhar no espelho...mas ainda assim continua comendo, então, fosse eu?
 
E se a pessoa que usa e abusa das drogas ou do álcool, mesmo reconhecendo que estas já te tiraram tudo: mulher ou esposo, emprego, amigos, dinheiro, paz, amor próprio, dignidade...e mesmo assim quizesse mais, mais, mais, mais.... fosse eu?
 
E se pessoa que ouve vozes, e acredita nelas, e bate na cabeça ou a cabeça na parede para ver se elas param, e mesmo que todos digam: não tem nenhuma voz aqui, ela continuasse ouvindo vozes de charcota ou de comando, fosse eu?
 
E ainda, se aquela que vê vultos que ninguém vê, vultos que aparecem em toda parte, que aparecem do nada e desaparecem quando bem entendem, deixando susto, pavor e medo...e mesmo que ninguém acredite, fosse eu?
 
E se aquela pessoa que de repente é tomada pela sensação de terror, falta de ar, vertigens, coração acelerado, medo de morrer, enlouquecer ou perder o controle...fosse eu?
 
E se fosse eu?
 
E se fosse eu?
 
E se fosse eu?
 
Hoje, 10 de outubro é o Dia Mundial da Saúde Mental, essa data foi criada em 1992 pela Federação Mundial de Saúde Mental. 
 
E através, desta pergunta: 'e se fosse eu?' eu te convido a uma profunda reflexão sobre o que o outro sente, pensa e o quanto sofre quando a sua saúde mental não vai bem...
 
Se colocar um pouquinho no lugar do outro pode contribuir e muito para a sociedade que desejamos, uma sociedade solícita com aquele que é acometido por doenças da mente, aquela que ninguém vê nos tradicionais raio-xs, não é sentida através do toque, mas pode ser vista a olhos nus se nos permitirmos olhar nos olhos e na alma do outro e compreender com amor, que ninguém escolhe adoecer! Se a saúde é considerada um completo bem estar físico, mental e social pela Organização Mundial da Saúde, então é claro, que sem saúde mental não há saúde!
 
Precisa de ajuda?
 
O atendimento gratuito pode ser encontrado nos CAPS - Centro de Atenção Psicossocial.
 
O CVV também é um importante apoio e as ligações são gratuítas 24 horas por dia, através do número 188.
 
As Universidades que teem o Curso de Psicologia também oferecem atendimento com os seus estagiários.
 
Inúmeros psicólogos e psicólogas oferecem além do atendimento particular, ou por convênios, o atendimento por valor social, que é acessível a quem não pode pagar o valor cheio.
 
Deixo mais uma vez a pergunta:' e se fosse eu?'
 
Vamos pouco a pouco, passo a passo construir um mundo mais empático e respeitoso?
 
Pense nisso, tenha um ótimo feriado e até a próxima!
 
Sani Neves. Psicóloga. CRP 18/01332. Terapia EMDR. Constelação Familiar Sistêmica.
65 999821308.
 
 
 Os artigos publicados nesta coluna são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões neles emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do Portal O Bom da Notícia.