Quarta-feira, 17 de Julho de 2024

CIDADES Sábado, 11 de Novembro de 2023, 08:38 - A | A

Sábado, 11 de Novembro de 2023, 08h:38 - A | A

EM CUIABÁ

Estudantes da Educação Adventista em Cuiabá acham fósseis de dinossauro em escavação

Da Redação do Bom da Notícia com Assessoria

O Colegio Adventis, no Bairro CPA, em Cuiabá, promoveu uma experiência educacional única ao oferecer uma imersão no criacionismo para seus alunos. Trata-se da semana da Criação, que aconteceu de e 6 a 10 de novembro. O destaque desse evento foi a descoberta de fósseis de pelos estudantes que participaram da simulação de escavação, transportando-os para o mundo fascinante da pré-história.

A Semana da Criação é uma iniciativa nacional da Educação Adventista. Ela busca fortalecer a crença no relato bíblico da criação e destacar como essa convicção pode moldar o futuro dos alunos. O evento, que reuniu crianças da educação infantil até o quinto ano, contou com uma instalação temática que simulava florestas e desertos. Isso permitiu que os estudantes explorassem a natureza, plantas e animais e, de forma inovadora, a história dos dinossauros por meio de uma escavação lúdica.

O diretor da escola, Alfredo Ferreira, explicou o propósito por trás da atividade: "Nosso projeto foi desenvolvido com base nos princípios bíblicos, para ensinar aos alunos que Deus criou todas as coisas. Queremos que eles valorizem essa crença e se aproximem de Deus por meio da compreensão da criação."

O teólogo e professor Ruan Lima também compartilhou sua perspectiva sobre o evento. "A ideia é que a Semana da Criação deixe uma marca duradoura nas mentes das crianças, de uma forma lúdica. O relato da criação, conforme descrito na Bíblia, já é ensinado em suas igrejas e lares. No entanto, a escola tem um papel fundamental em abordar detalhes que podem não ter sido explorados", destaca.

Ciência versus Religião?

Questionado sobre a aparente contradição entre a ciência tradicional ensinada nas escolas e o criacionismo da Semana da Criação, o professor Ruan Lima esclareceu: "Seguimos o currículo estabelecido pelo Ministério da Educação, o que significa que nossos alunos têm acesso à teoria da evolução, que é exigida em vestibulares e universidades. No entanto, somos uma escola confessional que abraça a cosmovisão cristã, e, portanto, valorizamos o relato bíblico da criação".

Lima enfatizou ainda: "Todas as coisas foram criadas por Deus, incluindo os dinossauros. Existem várias pesquisas científicas que apoiam a ideia de um design inteligente. Portanto, nossa intenção é mostrar que ciência e religião não são excludentes, mas podem coexistir harmoniosamente. Aqui, os alunos podem explorar tanto a ciência quanto a religião, desde os mais jovens até os mais velhos, durante a Semana do Criacionismo".

Propósito de Vida

A questão do propósito na vida também foi abordada durante a semana. "Por que estou aqui? Qual é o meu objetivo?" são questões fundamentais na sociedade moderna, e para os cristãos, a resposta é clara: eles acreditam que foram criados por Deus para viver em harmonia com outros seres, desenvolver-se e adorar. Além de aprender sobre a criação, os estudantes também participaram de palestras com essa temática, explorando a responsabilidade que têm como seres criados.

O palestrante e teólogo Renan Leite de Abreu resumiu a importância da Semana da Criação: "Este é um assunto extremamente relevante para os nossos tempos. Vivemos em um mundo altamente polarizado, onde as crianças são frequentemente expostas a ideias que não estão alinhadas com princípios bíblicos. Portanto, dedicar uma semana para enfatizar que somos criacionistas, que viemos das mãos de Deus e que temos um propósito é algo verdadeiramente significativo."

A Semana da Criação proporcionou uma oportunidade única para os estudantes explorarem sua fé, compreenderem os princípios bíblicos e participarem de discussões construtivas sobre a relação entre ciência e religião, tornando-se uma experiência educacional enriquecedora e reflexiva.