Sábado, 18 de Maio de 2024

CIDADES Sábado, 13 de Abril de 2024, 10:55 - A | A

Sábado, 13 de Abril de 2024, 10h:55 - A | A

INSCRIÇÕES GRATUITAS

Projeto deve capacitar quase mil educadores de Mato Grosso sobre o Autismo

Serão 17 ações envolvendo 22 municípios, entre as regiões de Cáceres, e a metropolitana, como Cuiabá e Várzea Grande

Da Redação do O Bom da Notícia/Com Assessoria

“Autismo para Educadores” é mais um projeto social inovador realizado pelo Instituto INCA-Inclusão, Cidadania e Ação, que se faz necessário, pois vai capacitar educadores da primeira infância a identificar sinais e sintomas precoces do Transtorno Espectro Autista (TEA) nos alunos da rede pública de ensino do Estado de Mato Grosso, e está com inscrições abertas para Cuiabá, até o dia 15 de abril. O Curso é gratuito, conta com uma equipe de profissionais da área da Saúde, e deve acontecer em dois finais de semana, entre os dias 19 e 27 de abril, na Escola Estadual Dom Pedro II (antigo Presidente Médici), localizada na avenida Mato Grosso.

O projeto já começou pelo município de Cáceres (05.04), e deve encerrar esta primeira ação no dia 13 de abril, sendo sucesso, com lista de espera que garante a pré-inscrição para mais um curso na cidade, a ser realizado no mês de setembro deste ano.

“A intenção é de que as crianças sejam encaminhadas o quanto antes para os atendimentos especializados, visando a maior qualidade de vida e desenvolvimento. Temos uma expectativa enorme que os professores saiam capacitados e animados, assim como nós estamos”, destaca a fonoaudióloga, Rita de Cassia.

O Projeto Social Autismo para Educadores é uma realização do Instituto INCA-Inclusão, Cidadania e Ação, sob a coordenação pedagógica do psicólogo, Rodrigo Alves Caldeira, e tem autoria de emenda parlamentar impositiva do ex-deputado federal, Dr. Leonardo, junto do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC), que é o patrocinador do recurso federal.

A ideia é compartilhar conhecimento para levar auxílio às crianças com TEA e suas famílias, e que possam ser desenvolvidas políticas públicas.

“Este é um sonho realizado, porque eu sou pai de autista. E o autismo não define uma pessoa. A alteração neurológica, de comportamento e outras questões de interações sociais não traz um carimbo de que isso é uma fatalidade, mas sim, para à necessidade de diagnóstico, tratamento, respeito e empatia”, pontua o médico e ex-deputado federal, Dr. Leonardo.

O AUTISMO

O TEA é um Transtorno do Neurodesenvolvimento caracterizado por dificuldades de interação social, comunicação social e comportamentos repetitivos e restritos. E a criança tem habilidades a serem desenvolvidas de acordo com a idade.

Portanto, é importante que os pais observem os desenvolvimentos de seus filhos, pois quando a criança chega na escola o professor faz esta observação e consegue perceber quando ela tem um desenvolvimento diferente de aprendizagem pela idade. É quando o professor chama os pais para conversar, sendo importante que eles acolham esta conversa com o educador, alerta a professora e psicopedagoga, Solange Albuquerque, que é mãe de um adolescente que está no Transtorno do Espectro Autista.

O termo atípico é utilizado para definir o desenvolvimento da criança ou adolescente, que é diferente das crianças que tem um desenvolvimento dentro dos marcos do desenvolvimento. E o diagnóstico é feito com a contribuição de uma equipe multidisciplinar, médicos, professores, psicólogos, neuropsicólogos, fonoaudiólogos, psicopedagogos, entre outros profissionais.

A CAPACITAÇÃO

Foi desenvolvida uma cartilha que será dialogada durante a capacitação e entregue aos participantes, por profissionais da área da Saúde: psicólogas Ileda Marta de Souza Flor, Ilza de Andrade Carvalho, Cinthia de Miranda Matos, Stefani Rayane Barbosa Ferreira, Rosania Siqueira Viana e Denise Ferreira Vilela; fisioterapeuta Tatiane Amorim de Matos; psicopedagoga Solange de Oliveira Figueiroba Albuquerque e fonoaudiólogas Rita de Cassia dos Santos Arinos Leal e Hellen Viviane Morgenstern da Silva Santos.

A ação será levada para diversos municípios das regiões de Cáceres e metropolitana do Estado de Mato Grosso, para conscientizar sobre o Autismo, possibilitar o diagnóstico precoce, criar redes de comunicação entre profissionais, pais e responsáveis, estabelecendo práticas e procedimentos de acolhimento e suporte às crianças com TEA ao longo do tempo.

PROGRAMAÇÃO

Após Cáceres, o projeto segue para a capital mato-grossense, também com limite de 50 vagas gratuitas, cujas solicitações de inscrição estão sendo feitas por meio do preenchimento de formulário via internet (https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeTt50maTeitfaKbYEc9VvTiJLHNR6pw3uS_khMwAa9pI-F4w/viewform?pli=1). Quem for contemplado com a vaga, será incluído em um grupo do WhatsApp, no dia 16 de abril, onde serão repassadas as informações sobre a capacitação.

Serão duas ações em Cáceres, quatro em Cuiabá, duas em Várzea Grande, além de uma ação entre os municípios de Araputanga e Reserva do Cabaçal; São José dos Quatro Marcos e Glória D’Oeste; Mirassol D’Oeste e Porto Esperidião; Curvelândia e Lambari D’Oeste; Jauru, Figueirrópolis e Vale de São Domingos; Salto do Céu e Rio Branco; Comodoro, Conquista D’Oeste, Nova Lacerda e Campos de Júlio. Também uma capacitação em Pontes e Lacerda e outra em Vila Bela da Santíssima Trindade.