Domingo, 23 de Junho de 2024

O BOM DA VIDA Domingo, 09 de Agosto de 2020, 17:43 - A | A

Domingo, 09 de Agosto de 2020, 17h:43 - A | A

PNL

Simpósio usa neurolinguística como ferramenta jurídica

Vivian Nunes/ Especial para O Bom da Vida

Em momento desafiador como a pandemia provocada pela covid-19, foi preciso exigir cada vez mais da capacidade técnica e emocional dos estudantes e profissionais, principalmente, do âmbito jurídico. Desta forma, o 1º simpósio de Neurolinguagem Jurídica entrou em cena nesta semana, com objetivo de mostrar como o uso Programação Neurolinguística, ou PNL como muitos conhecem, pode se conectar ao curso de Direito.  

O evento durou três dias e contou com cerca de 15 palestrantes que ajudaram a entender a Neurolinguagem Jurídica. Logo nas primeiras semanas, as vagas para as palestras virtuais já estavam esgotadas. Com as programações, os palestrantes trouxeram temas atuais do Direito, além de ferramentas uteis no dia a dia da advocacia.  

1º simpósio de Neurolinguagem Jurídica entrou em cena nesta semana

Logo no primeiro dia de palestra, na quarta-feira (05), a abertura do primeiro painel contou com a participação do palestrante, teólogo, historiador e Master Trainer em PNL, Welinton Magela e do Trainer em PNL e estudante de Direito, Brian Jousther. Juntos, apresentaram os fundamentos da Programação Neurolinguística, seguido de como pode ser aplicado para enfrentar os desafios do cotidiano acadêmico.  

Já no segundo painel, teve participação da advogada criminalista, professora, mestre e doutoranda em Direito Penal, Adriana D'Urso e do especialista em Direito Civil, Processual Civil, Direito Canônico, História e Filosofia do Direito e Criminologia, Rodrigo Tardeli abordando o tema “Crimes contra a mulher”. Assim, identificando um agressor e quais os reflexos jurídicos de cada conduta criminosa, além de outras informações indispensáveis à cidadania.  

No segundo dia de palestra, na quinta-feira (06), o primeiro painel contou com participação da mestra em Direitos Humanos, empresa e sustentabilidade, Ana Paula Pissaldo e do mestre em Direito, professor e autor de diversos artigos científicos, Kleber Pinho. E juntos, apresentaram o que pode ser essencial na hora de se preparar para a tão sonhada Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).  

Já no segundo painel, teve a participação do advogado e prós-graduado em Direito Constitucional e Processo Constitucional, Antonio Carlos Freitas e Mary Anne Araújo, explicando sobre a evolução dos direitos fundamentais em uma abordagem Neurolinguística.  

No último dia de palestra, na sexta-feira (07), o advogado e mestre em Direito, Vitor Hugo Freitas e o presidente do Centro Acadêmico de Direito Fernando Capez, Roberto Moreira apresentaram o “Direito Digital e suas Perspectivas”.  

No segundo e último painel, teve a fala da advogada e conciliadora, Keury Ketlin e do advogado, professor universitário e especialista em Direito Tributário, Cleylton Mendes, ajudando a encontrar formas inovadoras de lidar consigo, com clientes e com projetos na advocacia.