Quarta-feira, 12 de Junho de 2024

O BOOM DA NOTÍCIA Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020, 09:11 - A | A

Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020, 09h:11 - A | A

EX- POPSTAR

Campanha à reeleição de Taques, em 2018, é reprovada por unanimidade pelo TRE

Em sessão realizada nesta quinta-feira (6), no Tribunal Regional Eleitoral foram rejeitadas as contas de campanha do ex-governnador tucano, Pedro Taques, na sua disputa pela reeleição em 2018, tendo amargado não só a derrota mas, igualmente, o terceiro lugar

Sendo vencido pelo pelo democrata Mauro Mendes e ficado atrás do senador Wellington Fagundes (PL).

A rejeição das contas de campanha, icluiu claro, o seu vice, o pecuarista Rui Prado (PSD). A reprovação por unanimidade pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral ainda cabe recurso.

As contas foram relatadas pelo desembargador Sebastião Monteiro da Costa. Seguiram o relator os membros do TRE: Fábio Henrique Rodrigues de Moraes Fiorenza, Bruno D’Oliveira Marques, Jackson Francisco Coleta Coutinho, Gilberto Lopes Bussiki e Sebastião Barbosa Farias.

Entre as irregularidades apontadas pelos juízes da Corte Eleitoral estiveram as inconsistências como relatórios financeiros apresentados fora do prazo e a regularização de dívidas da campanha.

Taques arrecadou R$ 2,4 milhões na campanha e contraiu despesas de R$ 4,8 milhões. Também foram detectadas irregularidades não sanadas, como como uma despesa de R$ 17,4 mil com a empresa Sal Aluguel de Carros Ltda., que não possuía qualquer tipo de documento que comprovasse o gasto (contrato, fatura ou nota fiscal, por exemplo), despesa de R$ 30 mil com a empresa Data Talk Agência de Tecnologia e Comunicação, que teria sido cancelada, mas não houve apresentação de documento comprobatório. Ainda duas notas fiscais no valor de R$ 300 não registradas na prestação de contas caracterizando omissão de despesas ou dívidas e campanha não registradas.