Sábado, 25 de Maio de 2024

O BOOM DA NOTÍCIA Sexta-feira, 08 de Março de 2024, 11:20 - A | A

Sexta-feira, 08 de Março de 2024, 11h:20 - A | A

EM POCONÉ

Mulheres apontam capacitação como um bom presente para o dia 8 de março

Diego Guimarães articula com Virgínia Mendes e capacita 20 mulheres na Comunidade do Chumbo pelo Programa Ser Família.

Da Redação do Bom da Notícia com Assessoria

Terezinha Cornélio, 65, nascida em Poconé, a cerca de 120 quilômetros da capital de Mato Grosso, mãe de 10 filhos, vive na Comunidade Rural do Chumbo, distrito de Poconé e diz que o melhor presente para este 8 de Março é a valorização da vida de cada mulher. Terezinha é uma das 20 que estão fazendo o curso de Costura Industrial. “Criei meus filhos sozinha e a caminhada não foi fácil. Agora estou fazendo o que gosto”.

Terezinha acrescenta que se sente importante pela oportunidade que está tendo de aprender uma profissão. “Eu sabia um pouco de costura, mas este curso está me dando muitas ideias. Meu sonho é ter uma máquina, fazer parte de uma associação ou, até mesmo, ter meu próprio negócio. Assim terei condições de ter uma vida mais confortável”.

Este curso de Costura Industrial faz parte do Programa Ser Família Capacita, idealizado pela primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, e realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-MT). A prefeitura de Poconé entrou na parceria por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, captando outros tipos de cursos. “Nosso objetivo é qualificar as pessoas”, enfatiza a primeira-dama e secretária de Assistência Social de Poconé, Joelma Gomes da Silva.

Para realizar o sonho dessas mulheres, a articulação política do deputado estadual Diego Guimarães (Republicanos) foi fundamental. Adventista, ele conta que as aulas estão sendo realizadas no salão da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que também é parceira neste projeto por meio da Ação Solidária Adventista (ASA). “Nossa missão é melhorar a qualidade de vida dessas mulheres. E a capacitação é o melhor caminho”, destaca.

A professora do curso, Jandira Marta Nicolau Gonçalves da Silva, 41 anos, conta que o grupo completa neste 8 de março, 33 dias de treinamento. “Elas estão evoluindo muito bem. Me surpreendi com a dedicação. Em breve o mercado terá excelentes profissionais”. De acordo com Jandira, a maioria é dona de casa e sempre teve o sonho de aprender a costurar. “E para mim é uma dádiva poder ensinar.”

Março, o mês da mulher, para Jandira tem que ser como o resto do ano. Segundo ela, a mulher precisa ter seus talentos e dons valorizados. “Isso ninguém pode tirar de nós. Eu me sinto agraciada por ter o dom de ensinar. Admiro e me encanto com essas destemidas. E neste grupo temos muitas. Neste dia da Mulher queremos respeito pelo que somos e não pelo gênero”.
Alegre, Juscineia Francisca da Silva, 42 anos, comemora o fato de já saber costurar shorts e blusinhas. “Eu sou a mulher e o homem da minha casa. Tenho uma força que vem de Deus e que me faz correr atrás do que quero. Eu já ganhei meu presente do dia da Mulher que é este curso de Costura Industrial”. Ela acrescenta ainda que não sabia nem colocar a linha na agulha e que sente orgulho de ter a facilidade de aprender. “Este presente vai me dar a oportunidade de ganhar dinheiro e melhorar minha vida”.

Com 55 anos, a líder comunitária Vanderli Marques Campos, também se sente grata pela oportunidade de aprender a costurar. “Ser mulher é ter determinação, vontade, convicção daquilo que quer ser ou fazer. Deus me deu a oportunidade de aprender e também de ensinar. Quero contribuir para que as minhas colegas sejam grandes empreendedoras”. Vanderli conta ainda que já estão se organizando em uma cooperativa para facilitar a prestação de serviço e incentivar as mulheres a se tornarem empreendedoras.

Assim como as demais, Vera Lúcia de Arruda, 53 anos, está fazendo seu primeiro curso para aprender uma profissão. Ela, que tem dois filhos e quatro netos, faz questão de ressaltar que quer dar continuidade a este aprendizado. “Vamos montar uma associação para facilitar a compra das máquinas”. Para Vera, ter condições de trabalhar e melhorar a renda da casa é um grande presente para o Dia da Mulher.