Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

POLÍCIA Quarta-feira, 27 de Setembro de 2023, 15:01 - A | A

Quarta-feira, 27 de Setembro de 2023, 15h:01 - A | A

POR UNANIMIDADE

Desembargador alega falta de provas e nega que médica vá a júri popular por atropelar e matar verdureiro

Da Redação do O Bom da Notícia

Nesta terça-feira (26), por unanimidade, a Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato negou o pedido do Ministério Público para que a médica Letícia Bortolini seja submetida ao Tribunal do Júri.

A médica é acusada de homicídio qualificado com emprego de meio de que possa resultar perigo comum, além de omissão de socorro, se afastar do local para fugir à responsabilidade e dirigir embriagada. 

Letícia  atropelou e matou o verdureiro Francisco Lúcio Maia, de 48 anos, em abril de 2018, na avenida Miguel Sutil, em Cuiabá. Francisco tentava subir com seu carrinho na calçada quando foi atingido pelo carro da médica e morreu no local.

Em seu voto, o desembargador Orlando Perri alegou que não existem provas cabais que a ré estava alcoolizada no momento do acidente.

“A prova produzida na instrução processual acerca dessa condição, a embriaguez, é frágil e repleta de contradições, não permitindo a formação de um juízo positivo de admissibilidade”, disse durante o julgamento.

Perri disse, ainda, que a vítima contribuiu para própria morte ao atravessar a via com o carrinho de verdura.“A despeito da ré ter inobservado a velocidade recomendada para o local, não contava e não desejava ela o acidente, para o qual contribuiu, lamentavelmente, a vítima”, pontuou.