Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

POLÍCIA Quinta-feira, 05 de Outubro de 2023, 08:10 - A | A

Quinta-feira, 05 de Outubro de 2023, 08h:10 - A | A

NO INTERIOR

PM prende homem por maus-tratos contra filho com TEA, apreende arma e munições

Da Redação do O Bom da Notícia com Assessoria

Um homem de 36 anos foi preso, na noite desta terça-feira (03.10), suspeito por maus-tratos contra o filho de 10 anos, posse ilegal de arma de fogo e mandado de prisão em aberto, em Nova Marilândia (251 km de Cuiabá). A vítima, diagnosticada com Transtorno de Espectro Autista (TEA), foi agredida com uma bainha de couro de facão e apresentava diversos hematomas pelo corpo.  

Segundo informações do boletim de ocorrência, por volta das 20 horas, as equipes receberam denúncia de que uma criança havia sido agredida pelo próprio pai, em uma residência na Rua Santa Catarina.

Os policiais solicitaram presença do Conselho Tutelar para acompanhar no atendimento da ocorrência. Chegando no endereço da denúncia, os militares foram recebidos pelo suspeitos, que confessou agressão. 

À PM, o homem afirmou que teve que aplicar uma "correção" no menor após uma discussão com o irmão mais novo, e que bateu na criança utilizando uma bainha de couro de facão.

O menor, que possui laudo de TEA e dificuldade na fala, apresentava hematomas, vermelhidão e arranhões nas costas.

Durante atendimento da ocorrência, os policiais identificaram um mandado de prisão em aberto contra o suspeito, expedido pela Justiça do Estado de Rondônia.

O pai do menor ainda confessou que é usuário de drogas, mas afirmou que não havia nenhum entorpecente na residência. No entanto, revelou que havia uma espingarda calibre 22, com 21 munições intactas, em seu quarto. 

Diante dos fatos, o suspeito e a arma apreendida foram encaminhados à delegacia para registro do boletim de ocorrência e demais providências que o caso requer.

Disque-denúncia   

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, sem precisar se identificar, por meio do 190, ou disque-denúncia 0800.065.3939.