Domingo, 16 de Junho de 2024

POLÍTICA NACIONAL Terça-feira, 18 de Agosto de 2020, 15:36 - A | A

Terça-feira, 18 de Agosto de 2020, 15h:36 - A | A

Caixa 2 de Onyx sai do STF e agora acordo com PGR depende de juiz eleitoral

IG - Política Nacional

source
Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania
José Dias/PR
Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania

investigação por recebimento de caixa dois contra o ministro da Cidadania,  Onyx Lorenzoni (DEM-RS), foi enviada à  Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul após uma decisão da primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (17). Agora, o acordo que o ministro firmou com o Procuradoria-Geral da República (PGR) deverá ser analisado por um juiz eleitoral.

No começo do mês, Onyx fez um acordo de não persecução criminal que com a PGR admitindo que teria recebido da empresa JBS R$ 300 mil em doações ilegais nas campanhas de 2012 e 2014 - valor que atualmente equivale a R$ 423,5 mil. 

Pelo acordo, Onyx confessa o crime e paga uma multa de R$ 189 mil - 45% do valor que recebeu ilegalmente em sua campanha -, mas não será aberto uma ação penal contra ele, que permanece réu primário.

Com o envio da investigação para a Justiça Eleitoral , um juiz eleitoral analisará o acordo e também será necessário a ratificação desse acordo por um promotor da Justiça Eleitoral.

Em fevereiro de 2019, o ministro do STF Marco Aurélio determinou o envio da investigação para a Justiça Eleitoral, no entanto, a defesa de Onyx recorreu. Mesmo assim, a decisão desta segunda (17), determinou a transferência definitiva.