Terça-feira, 23 de Julho de 2024

POLÍTICA NACIONAL Quarta-feira, 03 de Maio de 2023, 18:31 - A | A

Quarta-feira, 03 de Maio de 2023, 18h:31 - A | A

Mecias questiona Ministério da Justiça sobre conflitos em terra ianomâmi

Agência Senado

O senador Mecias de Jesus (Republicanos-RR) informou nesta quarta-feira (3), em pronunciamento, ter enviado pedido de esclarecimentos ao ministro da Justiça, Flávio Dino, sobre recentes conflitos que resultaram nas mortes de garimpeiros e de um indígena na reserva indígena ianomâmi em Roraima. De acordo com o senador, as circunstâncias das mortes não estão claras.

— Esse enfrentamento resultou no assassinato de 12 funcionários do garimpo e um ianomâmi, mas as circunstâncias não estão claras e, por isso, enviei um ofício com questionamentos ao ministro da Justiça, Flávio Dino. Gostaria de saber se a Polícia Rodoviária Federal e o Ibama poderiam ter feito remoção dos corpos, visto que nenhuma das instituições pode exercer as funções de polícia científica? Fica claro que a cena de um crime grave, que resultou em múltiplas mortes, foi violada — concluiu.

Mecias também quer saber quem é o responsável pela decisão de não mobilizar a perícia. Outro questionamento feito por ele é se os agentes portavam câmeras corporais no momento do suposto enfrentamento, além de informações sobre a propriedade das armas e o destino delas após o crime. Ele citou, ainda, dúvida sobre  as circunstâncias em que ocorreu o enfrentamento, o número de pessoas mortas e feridas e como tem sido feita a retirada dos funcionários de garimpos da terra indígena.  

O senador lembrou que não é a primeira vez que ocorre esse tipo de conflito e que o governo nunca buscou uma solução definitiva para o problema em mais de 50 anos. Para ele, há mais interesse em “exterminar garimpeiros, a qualquer custo”. O senador afirmou que, embora existam bandidos nos garimpos, a maioria dos que estão lá é de trabalhadores que buscam o sustento de suas famílias.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Agência Senado