Sábado, 20 de Julho de 2024

POLÍTICA Domingo, 24 de Setembro de 2023, 17:32 - A | A

Domingo, 24 de Setembro de 2023, 17h:32 - A | A

ARTICULAÇÃO

Allan Kardec não descarta colocar nome à disposição do PSB para 2024

Luciana Nunes/ O Bom da Notícia

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secitec), Allan Kardec (PSB), disse em conversa com os jornalistas, que está a disposição do partido para o pleito municipal de 2024. E já sinaliza que deve deixar o governo no fim de março, conforme manda a Justiça Eleitoral.

“Até o dia 30 de março do ano que vem estarei na secretaria, caso ocorra uma convocação do PSB para uma disputa ou em uma composição com o nosso nome vou estar sempre à disposição para ajudar na construção deste projeto eleitoral”, disse.

Allan ainda lembrou de sua trajetória política desde a vereança e que gosta da ambiência política, porque observa neste espaço grandes possibilidades de ajudar a população.

"Eu sou soldado do partido, gosto da política, fui vereador em Cuiabá e estou pronto caso seja essa decisão do partido e haja uma conversa madura com o governador. Asiim, claro, vejo uma boa possibilidade, sim", disse.

Kardec ainda lembra que atualmente a legenda está na base do governo e não descarta um possível apoio a um pré-candidato de Mauro Mendes (UB.

“Hoje nós estamos em uma composição com o governo estadual que tem o Fábio Garcia e tem o deputado Botelho com esse interesse. Construindo um jogo interessante de xadrez, ainda que nada esteja, por enquanto, definido. Tudo precisa ser dialogado”.

Ainda que o presidente da sigla e primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, o deputado Max Russi tenha revelado, recentemente, a disposição do partido em abrir diálogo e seguir nas eleições de 2024 com o colega de Casa de Leis, o petista Lúdio Cabral, que oficializou sua pré-candidatura na disputa pelo comando do Palácio Alencastro.

Soma-se a isto o fato do vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, ser um dos caciques da legenda no país. E, hoje, trabalhando inequivocamente junto ao presidente Lula para aumentar o número de candidatos que possam, com sucesso, garantir vitórias da esquerda nas principais capitais do país. E ainda que esta decisão deverá ficar na mão de Russi que presidi a sigla em Mato Grosso.