Segunda-feira, 22 de Julho de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 08 de Dezembro de 2023, 16:49 - A | A

Sexta-feira, 08 de Dezembro de 2023, 16h:49 - A | A

RACHA

Cacique do MDB admite arrependimento por apoio dado à Emanuel em 2016

Da Redação do O Bom da Notícia com Assessoria

O presidente estadual do MDB, Carlos Bezerra, aposta que o prefeito Emanuel Pinheiro deixará o partido, ainda que isso possa ocorrer após encerrar seu mandato na administração de Cuiabá. O cacique da sigla diz que Pinheiro não atendeu as demanda e vê como natural sua saída da legenda.

“É natural que ele deixe o partido agora ou toma o rumo dele depois que acabar o seu mandato. Com ele não tem diálogo, conversa. Nunca atendeu uma demanda do partido, nunca viveu partido, sempre se mantendo distante. Não é só dentro do MDB não, fora também. Todos têm receio de se aproximar dele”, disse.

O rompimento de Bezerra e Emanuel ocorreu ainda no passado, quando o prefeito iniciou uma articulação para substituir Bezerra do comando do partido, no Estado, colocando o nome de Juarez Costa.

Bezerra ainda disse que Pinheiro não cumpre o que fala, o que gerou uma desconfiança na sigla ao nome dele. “Ele poderia ser o nosso maior quadro político e a maior liderança política do Estado. Poderia está comandando o partido. Mas ele nunca cumpre o que fala. Então não tem como confiar em alguém assim”, pontuou Bezerra.

Na última semana, o grupo do prefeito Emanuel Pinheiro tentou uma manobra com o presidente nacional da sigla, Baleia Rossi, para colocar o filho, o deputado federal Emanuelzinho, na presidência do MDB na capital, no entanto, a tentativa não deu certo.

À ação de Pinheiro, Bezerra admitiu à jornalistas na semana passada que haveria, sim, um racha no partido. Ao informar que, em breve, haverá uma discussão interna da executiva do partido para decidir sobre a presidência do diretório municipal de Cuiabá. Ao, inclusive, defender que a deputada estadual Janaina Riva assuma o diretório da Capital.

“Quem vai decidir isso é a executiva estadual que não sentou ainda para discutir esse assunto. Há uma divergência interna no partido e a executiva vai ter que decidir isso. Há um grupo que diverge da gestão do Emanuel e do Emanuelzinho. Então tem uma disputa. Eu defendo que a deputada Janaina Riva assuma o diretório da capital. Ela foi disparada a mais votada em Cuiabá. Por isso acho que é um direito dela comandar o MDB de Cuiabá. Ela tem apoio da maioria do partido, e da bancada estadual. Defendo essa posição, pois o problema aí é político”, explicou.

A divisão ocorre porque a ala do prefeito Emanuel quer a continuidade do advogado Francisco Faiad. Já o grupo da deputada estadual Janaina Riva defende uma renovação do MDB, em Cuiabá, principalmente, devido aos escândalos que ocorreram durante a gestão do prefeito Emanuel Pinheiro.

Em entrevista recente à Gazeta, Bezerra voltou a criticar Emanuel Pinheiro, desta vez até mais severamente, ao revelar que teria se arrependido em ter escolhido o nome do gestor para disputar a eleição de 2016, como prefeito de Cuiabá. À época, o ex-deputado federal Valtenir Pereira também era pré-candidato ao cargo, pela sigla, mas foi desbancado por Emanuel. “O Valtenir era o candidato natural do partido. Mas eu analisei na época que o Emanuel tinha que ser candidato pelo momento. E pedi ao Valtenir para esperar. Ele reclamou, mas depois aceitou”. 

“Analisando tudo hoje, vejo que Valtenir era o melhor nome, tanto para a cidade como para política. Mas isso acontece. Agora, é pensar bem para não errar novamente”, complementou. (Com informações da Gazeta)