Quarta-feira, 17 de Julho de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 14 de Julho de 2023, 10:47 - A | A

Sexta-feira, 14 de Julho de 2023, 10h:47 - A | A

POLÊMICA EM MT

Deputado Valdir Barranco comemora decisão de Lula de colocar fim as escolas militares

Luciana Nunes/ O Bom da Notícia

Em conversa com os jornalistas nesta última quinta-feira (13), o deputado estadual Valdir Barranco (PT) comemorou a decisão do Palácio do Planalto, tomada em conjunto com o Ministério da Educação e o Ministério da Defesa, na extinção de escolas militares que estavam sob administração do Governo Federal em parceria com as Forças Armadas.

“Vitória da Educação! O Ministério da Educação formalizou o encerramento do Programa das Escolas Cívico-Militares. Acaba a doutrina da obediência cega, da hierarquia implacável e desta ideologia como solução. O que a gente precisa é de infraestrutura, diversidade e investimento”, afirmou o deputado.

Esta semana, o Ministério da Educação (MEC) enviou um ofício aos secretários de Educação informando que o programa será finalizado e que deverá ser feita uma transição cuidadosa das atividades para não comprometer o cotidiano das escolas.

O programa era executado em parceria entre o MEC e o Ministério da Defesa. Por meio dele, militares atuam na gestão escolar e na gestão educacional. O programa conta com a participação de militares da reserva das Forças Armadas, policiais e bombeiros militares.

“Nós sabemos que em Mato Grosso, o governador já adiantou que não vai extinguir essas escolas. Então nós vamos aguardar a decisão da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) que nós ingressamos, pelo Partido dos Trabalhadores, do ano passado contra essas escolas”, disse.

“O modelo de escola não está previsto nas normas consticionais brasileiras, que regulamenta a educação. Nós temos ações aqui e também no Paraná. Estamos aguardando a decisão do Supremo que, certamente, manifestará pela inconstitucionaldade [...] Até a decisão nós continuaremos a luta para que a escola e a educação no Brasil seja sempre como preconiza a legislação e como preconizam os estudiosos da educação”, completou. 

Em Mato Grosso, a Secretaria de Estado e Educação disse nesta última quarta-feira(12), que irá manter a escola cívico-militar apesar de encerramento do programa pelo MEC. Assim, de acordo com a Seduc, a Escola Estadual Mário Motta, em Cáceres (distante 250 km de Cuiabá), terá suas atividades mantidas.

Em Cuiabá, a Prefeitura informou que existem duas escolas municipais que integram o programa do governo federal, a Professora Maria Dimpina Lobo Duarte e a Dejani Ribeiro Campos. O encerramento ou não dessas unidades escolares no programa ainda será avaliado pela administração pública..