icon Terça-feira, 15 de Junho de 2021

POLÍTICA Quinta-feira, 26 de Dezembro de 2019, 08:00 - A | A

EM CUIABÁ

Dilemário aponta 120 obras paradas e 80 só na saúde

Vivian Nunes/Marisa Batalha/O Bom da Notícia

Em entrevista recente realizada na semana passada pelo vereador Dilemário Alencar (Pros), que faz oposição ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro(MDB), na Câmara, apontou pelo menos 120 obras estão paradas na capital. E, pior, 80 delas na área de saúde.

 

Dilemário que faz parte da Comissão de Acompanhamento e Fiscalização das obras públicas em Cuiabá revelou que estes trabalhos prometidos pelo prefeito, muitos sob fogos de artíficios no lançamento, com as placas colocadas nas obras, muito possivelmente, "terão somente estas placas como lembrança das promessas feitas".

 

Dentre as obras contidas no levantamento da Comissão - presidida pelo colega de parlamento, o vereador Wilson Kero Kero ( Podemos) - estaria a promessa de asfalto para os bairros Jardim Vitória, Jardim União e Jardim Florianópolis. "Que estão com os trabalhos paralisados e com a empreiteira sem receber do Alencastro há um bom tempo. Aliás, de acordo com os proprietários a dívida já teria chegado a R$ 4 milhões ".

 

Outra assinalada pelo parlamentar municipal é a passarela da rodoviária que deveria, de acordo ainda com Dilemário, ser entregue em novembro, mas prorrogada por mais 90 dias.

 

Das 120 obras paradas, 80 são na área da saúde pública

E mesmo tendo concluído uma obra da envergadura do Hospital Municipal de Cuiabá, o HMC, o que terial, conforme Dilemário, dado a Pinheiro uma boa aprovação junto à opinião pública, ainda restam dezenas na área da saúde pública, dentre elas PSFs, UPAs e policlínicas.

 

"Pelas propagandas institucionais, a Prefeitura Cuiabá é uma Suíça. Tudo funciona. A saúde está boa, o transporte coletivo excelente, não tem obras paradas, enfim[...] Estou até com vontade de até fazer uma denúncia no Procon contra as propagandas enganosas da Prefeitura de Cuiabá[...]".

 

Foi por isto, ainda conforme o vereador, que não teria avalizado um dos últimos pedidos de empréstimos feito à Câmara, pelo prefeito e aprovado pela Casa, para contrair mais uma nova dívida, agora de R$ 100 milhões junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

 

Mesmo sob o argumento de que os recursos serão utilizados na execução de obras de asfalto em 20 bairros, por meio do Programa ‘Minha Rua Asfaltada’, Pinheiro não teria aceitado que os vereadores indicassem os nomes dos bairros que poderiam ser beneficiados pelo programa, ainda que a realização desta listagem seja de praxe.

 

"Prá você vê, este projeto de lei para a realização do empréstimo, que fui contra, mostra que o prefeito está endividando a administração e sem dar explicações do que faz a ninguém. Por exemplo, ele não aceitou os 18 bairros que coloquei na planilha. Que eu listei. O vereador  Luís Cláudio(PP), líder do Emanuel, no parlamento, até tentou que ele aceitasse os nomes dos bairros listados, mas Pinheiro não aceitou. E novamente a Câmara de Vereadores deu ao prefeito um cheque em branco, para que faça o que quiser com este dinheiro".

 

Leia também - UPA do Verdão que custou R$4,9 milhões finalmente é entregue após 4 anos



Imprimir

Comentários