Quinta-feira, 25 de Julho de 2024

POLÍTICA Sábado, 22 de Junho de 2024, 16:19 - A | A

Sábado, 22 de Junho de 2024, 16h:19 - A | A

ELEIÇÃO

Edna confirma pré-candidatura à reeleição e espera retomar mandato em breve

Da Redação do O Bom da Notícia com Assessoria

A vereadora Edna Sampaio (PT) confirmou sua pré-candidatura à reeleição "Três Pretas", compartilhada com liderança LGBTQIA+ Dayeli Cristina e com a jornalista e escritora Neusa Baptista. A vereadora confia que em breve, antes dos prazos de convenções e registros de candidatura, haverá uma decisão favorável da justiça para a retomada de seu mandato na Câmara Municipal de Cuiabá. "Vamos até as últimas instâncias, se necessário, mas acredito que não será preciso".

Edna afirmou que sua pré-candidatura foi alvo de manobras políticas com o intuito de deixá-la inelegível. "Fizeram uma nova cassação, mesmo sem ter terminado o processo anterior, porque queriam me deixar inelegível para que eu não pudesse disputar a reeleição. Vamos pensar que a política é um lugar de disputa em todos os sentidos que se possa imaginar. É uma coisa até insana".

Ela destacou que a decisão de cassá-la tinha o objetivo de dispersar os votos que receberia. "Muitos que votaram pela minha cassação, pensaram iriam tirar a possibilidade de eu reeleger, para que os votos que são meus se dispersem para outras candidaturas. Há um interesse em relação a isso. Lamentavelmente, inclusive dentro da federação da qual participo, porque um vereador dentro da federação também votou pela minha cassação, o que, do ponto de vista partidário e ético, é totalmente reprovável, ainda mais sendo da forma que foi".

A vereadora destacou novamente as falhas processuais e as violações de princípios constitucionais observados nos dois processo de cassação dos quais é alvo.

 

"O processo contém nulidades insanáveis que violam princípios constitucionais, como, por exemplo, permitir que eu me defenda dentro do rito legal e não pela internet ou pelos veículos de comunicação. Deve haver um processo formal, seguindo o rito, com todos os procedimentos legais para que eu possa me defender, e isso não foi feito".

Edna reafirmou sua confiança nas instituições brasileiras e no sistema judiciário.

"Ainda existem instituições na República Federativa do Brasil que conduzem seus processos com a seriedade que uma instituição pública deve ter, baseando-se na Constituição, o que não aconteceu no processo da Câmara Municipal de Cuiabá".