Sexta-feira, 24 de Maio de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 30 de Abril de 2024, 14:01 - A | A

Terça-feira, 30 de Abril de 2024, 14h:01 - A | A

CÂMARA DE CUIABÁ

Edna denuncia Comissão Processante por preparar “mamão com açúcar" para Pinheiro

O Bom da Notícia/com Assessoria

A vereadora Edna Sampaio (PT) solicitou nesta terça-feira (30) seu desligamento da Comissão Processante que investiga o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) na Câmara Municipal de Cuiabá.

A vereadora apontou que a Comissão vem desrespeitando o rito legal de maneira proposital, para levar à nulidade o processo de cassação do Prefeito. sem estratégia de trabalho ou planejamento, de maneira proposital para levar à nulidade do processo.

Segundo a Vereadora essa estratégia atende tanto aos interesses dos vereadores, que votarão pela cassação visando preservar sua imagem perante a população, quanto aos do prefeito que, com a nulidade, voltará ao Palácio Alencastro pela via judicial.

Edna apontou que a Comissão ignorou a proposta de calendário apresentada por ela e não construiu uma agenda de trabalho.

Com relação ao parecer da comissão sobre a defesa prévia do Prefeito, Edna disse que pedido de vistas para feito por ela fundamenta-lo melhor, mas as contribuições que ela apresentou formam desconsideradas.

Em sua avaliação, o parecer da comissão não afastou de forma devidamente adequada os argumentos trazidos na defesa prévia, o que abriu espaço para questionamentos e colocou em risco a integridade do processo.

Edna lembrou, ainda, que foram ignorados os requerimentos feitos por ela para que a Comissão contasse com sala própria e um servidor de carreira da área jurídica para fazer seu assessoramento.

Ela destacou que a Procuradoria da Casa não é órgão competente para decidir pela comissão e que há suspeição do Procurador Geral da Casa, Marcus Brito, por ser homem de confiança de Emanuel Pinheiro e do Vereador Chico 2000.

“O que está se preparando é um ‘mamão com açúcar’ para o prefeito e uma solução política em que todos vão votar a favor da cassação, porque, afinal de contas, aqui não há outro interesse que não salvar os seus próprios mandatos. E salvar os seus próprios mandatos significa ficar do lado oposto do prefeito”, afirmou.

 

“Não vou participar dessa solução de consenso que não me inclui. O consenso que há sobre mim é para me perseguir, me cassar. A espetacularização da cassação da vereadora Edna nao se compara, nem de longe, à forma como a comissão processante do prefeito está sendo conduzida”, alegou.

A parlamentar enfatizou que não pode ficar em uma comissão que já tem, previamente, o resultado a ser produzido. “É uma comissão de faz de conta, então eu não vou poder, infelizmente, continuar”, disse.

Edna reafirmou que continuará denunciando Chico 2000 (PL.) pela perseguição que vem sofrendo, declarando que, graças a essa situação, adoeceu e recebeu o diagnóstico de depressão.

“Não vou parar nenhum dia, nenhum momento de fazer a denúncia do meu agressor. A depressão talvez seja o resultado do ódio que as mulheres sentem de não poder reagir à altura da covardia dos homens”, afirmou.

“Conheço bem a consequência da violência contra a mulher e o adoecimento é uma delas. Mas eu sou forte, o que me enverga não me quebra”.