Sábado, 22 de Junho de 2024

POLÍTICA Segunda-feira, 05 de Outubro de 2020, 10:18 - A | A

Segunda-feira, 05 de Outubro de 2020, 10h:18 - A | A

ELEIÇÕES 2020

Emanuelzinho e Flávio da Frical apresentaram pedidos para barrar as candidaturas

Rafael Martins/O Bom da Notícia

A disputa eleitoral pela segunda maior cidade de Mato Grosso nem bem começou e já está judicializada. Os candidatos Emanuel Pinheiro Neto (PTB) e Flávio da Frical (PSB) travam uma dura batalha na Justiça Eleitoral, tentando um impugnar o outro sob alegações de crimes cometidos e irregularidades.

Contra Flávio Vargas pesam condenações por sonegação fiscal em montantes que superam R$ 125 milhões sem correção, fraude contra credores e por crime continuado, ou seja, o Ministério Público Federal solicitou a condenação de Flávio Vargas por ter cometido o mesmo crime 55 vezes, ou seja, ele sonegava e cometia fraudes de forma constante mensalmente e anualmente, e lhe pede a imputação de 483 anos e quatro meses.

O jurídico da coligação encabeçada pelo PTB, assinada pelo advogado José do Patrocínio, afirma que Flávio Vargas omitiu nas certidões exigidas para o registro de candidatura, as investigações e condenações recebidas na Justiça Federal de Mato Grosso.

Já a Coligação de Flávio Vargas alega que Emanuel Pinheiro Neto não promoveu a juntada de certidões da Justiça Federal, o mesmo que ele teria omitido para fins eleitorais e também o fato de Wilson Coelho ser inelegíveis já que foi cassado em 2015 por oito anos, portanto, antes de 31/12 deste ano de 2020, ele não poderia ser candidato.

O juiz Alexandre Elias Filho da 20ª Zona Eleitoral de Várzea Grande determinou a notificação de todos os impugnados para que desejando apresentem suas defesas. Na mesma proporção, Flávio Vargas apresentou pedido de impugnação contra Emanuel Pinheiro Neto e seu candidato a vice Wilton Coelho que foi vice-prefeito de Várzea Grande e foi cassado em 2015 pela Justiça Eleitoral.