Sábado, 22 de Junho de 2024

POLÍTICA Segunda-feira, 05 de Outubro de 2020, 16:44 - A | A

Segunda-feira, 05 de Outubro de 2020, 16h:44 - A | A

PANDEMIA 'SOB CONTROLE'

Governador fala em plano de retorno das aulas presenciais em MT

O Bom da Notícia

O governador Mauro Mendes (DEM) apontou que já está sendo realizada a discussão em torno de um plano da retomada das aulas presenciais em Mato Grosso, que foram suspensas há mais de seis meses em todo estado por conta da pandemia do novo coronavírus.

A fala do chefe do Executivo estadual foi feita durante coletiva de imprensa realizada no município de Cáceres (225 km a oeste de Cuiabá), na última sexta-feira (02). Na ocasião, o democrata ainda apontou que a pandemia está sob controle no estado, que, até o último domingo (04), já registrou mais de 3,5 mil óbitos e cerca de 126,9 mil contágios.

Para Mendes, as aulas presenciais devem seguir o mesmo curso que as demais atividades que já retornaram. Ao defender a volta presencial dos estudantes nas instituições de ensino, o governador defendeu que parte considerável da rotina da população já foi restabelecida e que não a Educação não poderia ser 'penalizada'.

'As pessoas estão saindo normalmente. Estão indo para as praças, indo para as empresas. Eu vejo as famílias saindo. As coisas estão acontecendo. Então, nós precisamos manter o mesmo nível de cuidado. Entretanto, precisamos retornar, se possível, 100% das nossas atividades. As nossas faculdades, nossas escolas. Existe um planejamento em curso e nós vamos detalhar isso na próxima semana com o pessoal da Unemat', disse Mendes. 

Em estudo realizado pela universidade estadunidense de Harvard, revelou-se que as crianças carregam consigo uma carga viral mais elevada do que se era imaginado até então. Apesar de a maioria das crianças do levantamento não terem apresentado estágios graves da doença, os pesquisadores alertaram sobre o risco de infecção com o retorno.

No Brasil, a experiência de retorno presencial das aulas em Manaus (AM) fez com que, duas semanas após a ação, o governador suspendesse novamente as atividades, uma vez que cerca de um terço dos professores testados no período foram infectados.