Domingo, 16 de Junho de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 22 de Maio de 2024, 18:00 - A | A

Quarta-feira, 22 de Maio de 2024, 18h:00 - A | A

ACUSADO DE ABUSO DE PODER

Júlio classifica como 'vitória da democracia' decisão do TSE de não cassar mandato de Moro

Evelyn Siqueira/ O Bom da Notícia

O deputado estadual Júlio Campos (UB) comemorou decisão desta última terça-feira (21), do Tribunal Superior Eleitoral que - por unanimidade -, rejeitou cassar o mandato do senador Sergio Moro (União-PR). O ex-juiz da Operação Lava Jato estava sendo acusado de suposto abuso de poder político e econômico e uso indevido dos meios de comunicação na campanha eleitoral de 2022.

À imprensa nesta quarta-feira (22), o deputado estadual assegurou que o resultado é uma ‘vitória’ para a democracia brasileira, ao explicar que a justificativa do processo que alegava gastos excessivos do Moro durante a campanha eleitoral para o Senado ‘não condiz’ com o real gasto.

“Acho que é uma vitória da democracia, é uma vitória da justiça e do homem que estava sendo injustiçado! Portanto, acho que o Tribunal Superior Eleitoral ao continuar com o mesmo ponto de vista do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, fez muito bem e tem meu apoio, porque a alegação que diziam que o Sérgio Moro devia ser cassado, porque ele teve excessivos gastos na campanha, não era verdadeira. Porque existem diferenças nestas análises, pois ele fez duas campanhas: uma pré-campanha para presidente da República pelo Podemos e outra quando saiu do Podemos e entrou no União Brasil, para ser candidato a senador pelo Paraná. Então, não são gastos excessivos, porque uma campanha presidencial não tem nada a ver com uma campanha senatorial. Então se o TSE teve essa votação eles têm meus aplausos”, disse.

A declaração de Júlio Campos veio acompanhada de longos elogios a atuação de Moro, na época juiz, no desdobramento que colocou fim na ‘maracutaia’ existente na concessionária de combustíveis, a Petrobras, onde bilhões foram devolvidos aos cofres públicos.

“O Sérgio Moro prestou um grande serviço ao Brasil como juiz federal em Curitiba, pois teve a coragem de punir os ladrões que fizeram maracutaia na Petrobras que fizeram maracutaia na Eletrobras e nos fundos de pensão, como também retomou bilhões roubados de brasileiros que estavam na Suíça!”, pontuou

Entenda

O ex-juiz e atual senador, Sérgio Moro, foi acusado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e pelo Partido Liberal (PL), por abuso de poder político e econômico, e uso indevido dos meios de comunicação na campanha eleitoral de 2022, sob o argumento de que houve um desequilíbrio na disputa eleitoral por supostas irregularidades em gastos na pré-campanha, a partir da filiação do ex-juiz ao Podemos.

Questionavam, por exemplo, o fato de ele ter se lançado pré-candidato à Presidência da República e depois ter migrado para o União Brasil a fim de concorrer ao Senado.

O julgamento iniciou-se há uma semana, no entanto, somente nesta terça-feira (21), ocorreu a votação que rejeitou por unanimidade os recursos que pediam a cassação do mandato de Moro.