Sábado, 25 de Maio de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2024, 17:08 - A | A

Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2024, 17h:08 - A | A

MÃE DE THAY MACHADO

Magistrado nega recurso à feminicida e Carlinhos continuará pagando pensão a mãe de ex

Da Redação do O Bom da Notícia

O desembargador Sebastião de Moraes Filho, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, negou pedido de liminar feito por Carlinhos Bezerra, filho do ex-deputado federal Carlos Bezerra(MDB), que buscou colocar fim a pagamento de pensão alimentícia à mãe de Thays Machado, que foi assassinada por ele, em janeiro de 2023, junto como o namorado dela, Willian Moreno.

Carlinhos está em prisão domiciliar desde novembro do ano passado, sob a justificativa de saúde frágil, situação que gerou revolta a amigos, parentes e em coletivos que estudam a questão da mulher e lutam pelo fim das agressões e feminicídios.

Para o desembargador, ficou comprovado, sim, que a mulher era dependente financeira da vítima.

“(...) Levantamento pericial concluiu que o requerido praticou o crime de homicídio quadruplamente qualificado, que vitimou a filha da agravada. Por outro lado, a agravada juntou aos autos comprovação de que recebe R$1.100,00, bem ainda declaração de Imposto de Renda da vítima, sua filha, na qual demonstra, em uma análise sumária e não exauriente, que dela era dependente”, diz a decisão.

“Anota-se, por fim, que a parte agravante sequer demonstra que não teria condições de arcar com o valor arbitrado a título de pensão, ou a impossibilidade de fazê-lo, ainda que momentaneamente, motivo pelo qual deve ser mantida a decisão. Com essas considerações, Indefiro a liminar vindicada”, decidiu o desembargador.

Entenda o caso

Thays Machado e Willian Moreno foram mortos a tiros no dia 18 de janeiro de 2023, em frente ao Edifício Solar Monet, quando Thays foi devolver o carro que havia emprestado da mãe para buscar o namorado no aeroporto em Várzea Grande.

Ela foi atingida por cerca de três disparos, dois nas costas e um na altura do quadril, vindo a óbito na calçada do edifício, enquanto Willian, mesmo atingido por cerca de três disparos, um no braço esquerdo e dois no peito, ainda tentou fugir do agressor, mas acabou caindo a poucos metros da namorada.

Câmeras de seguranças mostraram que Carlos Alberto Bezerra 'rondava' o prédio desde o início da semana, o que fez a polícia já trabalhar com a premeditação dos crimes.

Reforça esta tese o Boletim de Ocorrência registrado por Thays ainda no dia de sua morte, uma ligação para o 190 ainda na madrugada do dia 18 de janeiro para denunciar que estaria sendo perseguida pelo ex-companheiro, além dos vários comentários feitos à família que vinha sendo ameaçada de morte. Este já seria o segundo BO.

Ainda no dia dos assassinatos, dezenas de mensagens postadas nas redes sociais, descreviam Thays como uma pessoa querida, alegre e de bom coração. Alguns, mais próximos à vítima, lembraram de que ela 'foi uma mãe incrível, uma excelente profissional e um ser humano de coração gigantesco'.