icon Quinta-feira, 17 de Junho de 2021

POLÍTICA Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019, 16:24 - A | A

' ESTA É MINHA OPINIÃO'

Mendes volta defender nome de Fávaro para vaga ao Senado

Marisa Batalha - O Bom da Notícia

 

Reprodução/Web

mauro mendes

 

Mesmo se posicionando que decisões - em processos eleitorais - precisam ser tomadas pelo grupo partidário, o governador democrata Mauro Mendes não escondeu nesta segunda-feira (16), em encontro com jornalistas, no Palácio Paiaguás, sua preferência por Carlos Fávaro (PSD), em disputa ao Senado que será realizada no ano que vem, com data ainda a ser definida pela Justiça Eleitoral de Mato Grosso, após a cassação do mandato da senadora Selma Arruda (Podemos).

 

De acordo com o gestor democrata, a coerência é extremamente importante e que, assim, continua mantendo a mesma posição da que tinha nas eleições de 2018, quando Fávaro esteve ao seu lado na disputa pela Governadoria.

Me perguntam sobre o Fávaro, e eu digo que ele me apoiou e eu apoiei ele, estávamos juntos e ele ficou no terceiro colocado[...] Não tenho motivo para mudar a minha opinião. Acho que coerência é importante para as pessoas no dia a dia e eu não vejo um motivo claro para mudar de opinião daquilo que eu tinha nas eleições passadas

 

"[...] Me perguntam sobre o Fávaro, e eu digo que ele me apoiou e eu apoiei ele, estávamos juntos e ele ficou no terceiro colocado[...] Não tenho motivo para mudar a minha opinião. Acho que coerência é importante para as pessoas no dia a dia e eu não vejo um motivo claro para mudar de opinião daquilo que eu tinha nas eleições passadas, quando o Fávaro esteve ao meu lado[...]".

 

Ex-vice-governador, Fávaro além de ser um bem sucedido empresário do agronegócio, também chefia o Escritório de Representação de Mato Grosso (Ermat) em Brasília, à convite de Mendes. No ano passado, ele ficou em terceiro lugar na disputa pela Senatória, com 434 mil votos, na coligação "Pra mudar Mato Grosso", que deu sustentação e assegurou a vitória do chefe do Executivo estadual.

 

E vem buscando, sem sucesso, junto às Cortes - estadual e federal -, ser empossado no lugar da senadora até o novo pleito, com a vacância do cargo. O julgamento no TSE, contra a senadora do Podemos, aliás, foi contra o recurso interposto por Carlos Fávaro.

 

Agora, o social democrata deverá enfrentar novamente as urnas na tentativa, desta vez, de assegurar a cadeira no Senado da República com a decisão do TSE, na noite da última terça-feira (10), que colocou fim ao mandato de Selma, por caixa 2, abuso do poder econômico e arrecadação ilícita de recursos nas eleições de 2018. Validando, inclusive, decisão do Tribunal Regional de Mato Grosso que, em abril, por unanimidade já havia cassado seu mandato pelos mesmos motivos e ainda de seus suplentes.

 

E para evitar mal-entendido ou cisões partidárias, Mendes ainda que revelou que mesmo não tendo mudado de opinião, ele deverá realizar a escolha, oficialmente, após ouvir o partido. Ainda que esta posição em favor de Fávaro já tenha sido colocada, publicamente, em abril deste, após a cassação da senadora pelo TRE-MT.

 

O que pode ser reforçado com sua declaração no final da semana passada, em entrevista na Radio Capital FM, quando reagiu com severidade ao questionamento sobre o que achava de seu vice, o pedetista Otaviano Pivetta ser um dos postulantes, na disputa desta nova eleição ao Senado.

 

Após realizar longos elogios à Pivetta, sobre sua capacidade administrativa, sua lealdade e estatura moral, se posicionou firmemente, contudo, contra uma possível disputa de seu vice, à Senatória.

 

"Ter o Otaviano Pivetta, ao meu lado como vice é para mim um prazer enorme. Um homem de grande capacidade e de grande estatura moral. Muito bom ter um vice que não fica aí nos corredores articulando, conspirando, tentando fazer negócio. Ele é um homem absolutamente sério, honesto, bem-intencionado e possui uma história brilhante como prefeito de Lucas do Rio Verde. E não é um vice que fica lá como vaquinha de presépio não. É um vice que ajuda muito. Ele está ajudando nas secretarias de infraestrutura, de Obras, na Educação [...] enfim em várias missões[...] Eu não tenho dúvida nenhuma de que ele seria um grande senador, mas defendo o seguinte. Gente, se você se elegeu para um cargo, você não pode ficar enganando eleitor não!. Se você se elegeu para um cargo, honre o seu mandato. Cumpra o seu mandato. Depois você se candidate a outra coisa. Então eu vou defender que Otaviano fique ao nosso lado, como vice-governador e, sobretudo, porque ele é importante junto conosco para fazer o que precisa ser feito neste estado".



Imprimir

Comentários