Segunda-feira, 22 de Julho de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 08 de Junho de 2023, 16:41 - A | A

Quinta-feira, 08 de Junho de 2023, 16h:41 - A | A

COMISSÃO DEFINE NOMES NESTA SEGUNDA

Mesmo sob vaias Cattani se desculpa com mulheres, mas comissão definirá destino de deputado

Luciana Nunes/ O Bom da Notícia

(Foto: Ilustração/AL-MT)

CATTANI SOB VAIAS 2.JPG

 Deputado bolsonarista é vaiado por mulheres nas galerias 

Após comparar a gestação das mulheres às vacas, no dia 15 de maio, na reunião de abertura da Frente Parlamentar de Combate ao Aborto - Pró-Vida. Colocar a esposa, Sandra Cattani, mugindo em vídeo - que vazou de grupo de Whatsapp dos parlamentares para as redes sociais -, como forma de debochar das matérias divugadas pelos veículos de comunicação do estado. E ainda, em seguida, gravar vídeo pedindo desculpas às vacas por compará-las às mulheres, o deputado bolsonarista Gilberto Cattani(PL) viu ruir sua imagem, por meio de críticas duríssimas.

Suas ações ganharam vasto material nas mídias, foram temas de debates acalorados em reuniões de coletivos que estudam a questão da mulher em Mato Grosso. Se transformaram em denúncia, inclusive, aceita pelo procurador-geral de Justiça do estado, Deosdete Cruz Júnior, feita pela Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), por meio da presidente da Ordem, Gisela Alves Cardoso e da presidente da Comissão da Mulher Advogada, Glaucia Amaral. Denúncia que, igualmente, está sob análise criminal, já que uma cópia foi enviada para a 25ª Promotoria de Justiça Cível de Cuiabá e também apresentada na Assembleia Legislativa para a presidente em exercício, Janaina Riva.

Além destas consequências jurídicas, Cattani vem também sendo duramente criticado pelos seus pares no plenário da Assembleia e por companheiros que fazem parte do mesmo grupo político como a senadora social democrata, Margareth Buzetti. Mesmo conhecida por ser avessa às polêmicas, ela foi incisiva quanto a Cattani, ao lhe falar que pedisse desculpas à sua mãe pela declarações grosseiras que têm feito. "Como vice-líder da bancada feminina, como mulher, como mãe, como avó de mulher, acho que ele deve pedir desculpa, inclusive, para a mãe dele. Porque foi lamentável a forma como ele se posicionou"

A senadora que participou da abertura do mutirão de cirurgias no Hospital São Benedito nesta quarta, assegurou à jornalistas que a retratação de Cattani pedindo desculpas só as mulheres 'decentes', só ajudou a piorar ainda mais sua situação. Ao recordar que ela e Cattani estiveram juntos nas últimas eleições de outubro do ano passado, mas isto definitivamente não a impediria de critica-lo. "Quando você diz aquela mulher é uma vaca, é menosprezando a mulher. E isso eu não posso aceitar. Nós estivemos do mesmo lado na campanha, mas não vou passar a mão na cabeça dele", ao ainda manda-lo repensar sobre sua vida pública e pensar muito, antes de falar.

(Foto: Ilustração)

MULHERES VAIAM CATTANI.png

 

As consequências de suas ações acabaram levando-o a fazer uma meia culpa e se desculpar novamente, agora, com todas as mulheres. 

Possivelmente, por recomendações de suas assessorias, em especial, de comunicação e jurídica e por conta da instalação de Comissão de Ética para investiga-lo por decoro parlamentar, em um processo disciplinar que pode resultar em sua cassação.

"[...] Não tive intenção de agredir quem quer que seja, minha intenção é defender os valores ... que consideramos essenciais, entre eles, a defesa da família, a defesa da mulher, a defesa do nosso cidadão".

As desculpas - estratégicas ou sinceras - de Cattani, às mulheres podem, entretanto, terem chegado fora do tempo. Claro, se for levado em consideração que nesta próxima segunda-feira(12), o presidente da Assembleia Eduardo Botelho(União) retoma o comando da Casa de Leis, já com a promessa feita à jornalistas que não deixará passar em branco as declarações misóginas[ódio à mulheres] do deputado.

Botelho deixou bem claro que ainda nesta segunda será formalizada a investigação contra o bolsonarista e serão escolhidos os nomes que deverão compor a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar. 

À Rádio Cultura esta semana, o deputado social democrata, Wilson Santos revelou que ele deverá compor a Comissão, mas evitou tecer quaisquer comentários sobre o tema. Outra aposta para compor esta comissão - até por ser a única deputada mulher no Legislativo estadual - é o nome de Janaina Riva. E a parlamentar emedebista não vem escondendo sua indignação. À imprensa nesta última quarta, voltou a reafirmar que o caso não pode passar em branco e que não aceitará apenas um pedido de desculpas, pois isto não basta. Ela exige algo mais pedagógico.

"A gente tem que ir para essa comissão sabendo que algo precisa ser feito, que seja algo pedagógico, para que não aconteça novamente. Eu acredito que precisa ter alguma punição, sim. Então, isso não vai passar em branco, até porque o que nós queremos demonstrar que não cabe na Assembleia Legislativa preconceito com relação a mulher, discriminação, misoginia"

Aliás, o único colega de Casa de Leis que saiu em sua defesa foi o deputado estadual Cláudio Ferreira (PTB) que coordena a Frente Parlamentar Contra o Aborto – “Pró-Vida”. "Deputado Gilberto Cattani. Quero deixar bem claro que se o senhor for para Comissão de Ética terá o meu apoio porque sei o que o senhor disse ali".

Nem mesmo seus colega do PL ousaram realizar uma defesa mais forte em favor do correligionário, optando em 'colocar panos quentes' sob o argumento que o deputado já teria se desculpado.

Entenda a polêmica

No dia 15 de maio, na reunião de abertura da Frente Parlamentar de Combate ao Aborto - Pró-Vida, o deputado estadual Gilberto Cattani (PL) comparou a gestação de mulheres à das vacas. A Comissão é composta por deputados que fazem parte da bancada conservadora na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. O grupo intutulado “pró-vida” pelos próprios integrantes é composto apenas por deputados homens - sete no total -, e é comandado pelo parlamentar Cláudio Ferreira (PTB), que como Cattani, foi eleito sob a bandeira do bolsonarismo.

Além de condenar o aborto e comparar mulher com vacas, o parlamentar também atacou os movimentos feministas.

“Quando a minha vaca entra no cio, está no período fertil e o touro cobre a minha vaca, é assim que a gente fala lá na roça, então ela tá prenha, certo? Isso é natural”, iniciou. “Agora, eu pergunto para qualquer pessoa: o que é que tem na barriga da minha vaca? Se você pedir para essas feministas, ou para essas pessoas que defendem o assassinato de bebês no ventre da sua mãe, eles vão dizer que lá tem um feto, não um bezerro, assim como elas falam da mulher. Eles usam a palavra feto para desmerecer aquela criança que está ali” continuou.

Mas para entender todo este processo de ironias e deboches de Cattani até se tornar alvo de investigação, em processo disciplinar, com a instalação de Comissão de Ética contra ele por falta de decoro parlamentar na Assembleia Legislativa, ele por três vezes ironizou as mulheres. Primeiro ao comparar a gestação de mulheres à de vacas. Na segunda, em outra gravação, sua esposa Sandra Cattani aparece mugindo como se fosse uma vaca, ao tentar ironizar as duras críticas que o parlamento vem recebendo pela comparação esdrúxula. 

E um terceiro vídeo que, possivelmente, foi 'a gota d'água' onde ele pede desculpas a duas vacas por tê-las comparado às mulheres. "[...] Quero pedir a vocês que, por favor, me desculpem. Eu jamais iria comparar vocês com as feministas, me perdoem, do fundo do meu coração”.

Para as pessoas que protestaram sobre a comparação do parlamentar, mesmo que sob uma narrativa simplista, a indignação está muito para além do fato do deputado bolsonarista ser contra o aborto, pois é seu direito. Mas porque Cattani presidi uma Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Amparo à Criança, ao Adolescente e ao Idoso e, igualmente, comanda uma Comissão pela Defesa dos Direitos da Mulher, na Assembleia Legislativa. E ainda assim realiza falas que trazem em seu contexto, uma narrativa de absoluta misoginia [conceito que abarca sentimentos de desprezo, de preconceito e de desrespeito à mulher].