Sábado, 22 de Junho de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 03 de Setembro de 2020, 12:44 - A | A

Quinta-feira, 03 de Setembro de 2020, 12h:44 - A | A

EM CUIABÁ

'Prefeito já pode pedir música', satiriza Abilio sobre prisões e afastamentos de gestores de Emanuel

Dana Campos/Especial para O Bom da Notícia

 

Câmara de Cuiabá

câmara de cuiabá camara de cuiabá

 

O procurador-geral da Prefeitura de Cuiabá, Marcus Brito foi afastado por 180 dias de suas funções por determinação da Justiça na manhã desta quinta-feira (03), pela juíza Ana Cristina Mendes, da 7ª Vara Criminal da Capital. Com essa decisão, já é o terceiro gestor da administração do prefeito Emanuel Pinheiro(MDB), alvos de investigações policiais. “A regra é clara! Três na mira da polícia, já pode pedir música”, ironizou Abilio

O parlamentar lembrou do ex-secretário de Saúde, Huark Correa, preso em abril de 2019, suspeito de fraudes em licitação; organização criminosa; corrupção ativa e passiva, tendo como objeto lesar o erário público, por meio de contratos vinculados às secretarias estadual e municipal de Saúde, utilizando as empresas Proclin e a Qualycare. Citando também o afastamento, em junho deste ano, do ex-secretário de Educação, Alex Vieira Passos, por suspeitas de cometimento de crimes de peculato, lavagem de dinheiro e advocacia administrativa.

“Isso é para se envergonhar. Corrupção na saúde, corrupção na educação e corrupção em diversas outras áreas desse governo. Eu não consigo entender, um lugar que existem grandes exemplos de corrupção, existem grandes paus-mandados defendendo o prefeito que aí está”, manifestou Abilio.

O parlamentar também falou sobre a suposta manobra feita pelos vereadores da base do prefeito para arquivar a “CPI do Paletó”, que investiga o chefe do Executivo Municipal, flagrado colocando maços de dinheiro no bolso, na época que ainda era deputado estadual. E que deverá retornar à Câmara, com a decisão do magistrado Carlos Roberto Barros de Campos, da 4ª Vara Especializa da Fazenda Pública de Cuiabá, que determinou nesta última terça-feira (01), nova votação, agora, pautada na Resolução nº 011 de 24/04/2020 e no Regimento Interno. Justificando que o presidente da Câmara de Cuiabá, o petebista Misael Galvão teria 'violado o regime interno da Casa de Leis e ferido 'os princípios da moralidade, da impessoalidade e da legalidade'

“Vereadores tentaram cassar o prefeito. Vereadores paus-mandados defenderam o prefeito. O presidente da Câmara (Misael Galvão) mandou aviso da cassação às 5h da manhã no whatsapp e fez uma manobra lá pra tentar proteger o prefeito que ele (Misael Galvão) sempre protege aqui na sessão”, disse Abilio.

O vereador ainda enfatizou sobre a atuação da oposição junto à Câmara de Cuiabá nas ações de fiscalizações do Poder Executivo.

“Não é ódio. É amor. Ódio é o que vocês fazem, defendendo este prefeito, defendendo a corrupção. Nós defendemos o amor. O amor pelas pessoas que precisam de saúde. O amor pelas pessoas que precisam de educação. O amor por aquelas pessoas que precisam de lisura da administração pública. O amor pelas pessoas que precisam de vereadores melhores. O amor. É isso que defendemos”, completou Abilio, em resposta a vereadores da base do prefeito, que sugeriram que a oposição atua com ódio diante da gestão municipal.