Terça-feira, 16 de Julho de 2024

POLÍTICA Segunda-feira, 14 de Agosto de 2023, 18:04 - A | A

Segunda-feira, 14 de Agosto de 2023, 18h:04 - A | A

"DISSE A BOTELHO QUE O AMO"

Senador diz que briga no UB entre Botelho e Garcia precisa acabar e que presidente não deve sair

Marisa Batalha/ O Bom da Notícia

(Foto: Ilustração)

MAURO CARVALHO NA CBN.png

 Senador Mauro Carvalho em entrevista à Rádio CBN Cuiabá mesta segunda, 14 de agosto

À Rádio CBN de Cuiabá nesta segunda-feira(14), o senador Mauro Carvalho foi categórico, ao revelar que a disputa que vem sendo travada internamente no União Brasil entre o deputado estadual e presidente da Assembleia, Eduardo Botelho, e o parlamentar federal Fábio Garcia, atualmente, na condição de secretário-chefe da Casa Civil, precisa ter um fim, caso a legenda queira disputar e ganhar o comando do Palácio Alencastro, em 2024.

A declaração de Carvalho veio após decisão de Botelho no início da semana passada de migrar para outro partido, sob o argumento que as portas do União estariam fechadas para ele, já que a sigla, por meio do governador Mauro Mendes, teria definido que o nome oficial seria o de Garcia.

Ainda que nesta última sexta-feira(11), após viagem feita à Brasília, o presidente do parlamento estadual tenha desconversado sobre o assunto à jornalistas. Justificando que para sair do UB precisaria da liberação da legenda e que ainda ocorreriam muitas conversas com as lideranças até que trocasse de partido e que 'até lá muitas coisas poderiam mudar'. Ao, inclusive, admitir que o que mais o chateia seria a falta de critérios para esta escolha.

De acordo com Carvalho, a última vez que encontrou com Botelho foi em visita do deputado ao Senado, quando brincou com o deputado 'que o amava'. 'Que, aliás, todos do União o amavam. E que a sigla contém entre seus membros, todos os seus grandes amigos de jornada política'.

"Sou contra a saída de Botelho. Pois isto não tem sentido. Em outro partido ele não encontrará o número de amigos que têm no União Brasil. Que fazem, inclusive, parte de sua trajetória política. Acho que este seria o caminho da derrota do partido nas próximas eleições [...] Vou trabalhar muito para manter Botelho no União e vamos construir junto com o partido e com o arco de alianças quem deverá disputar a eleição em Cuiabá".

Para o senador, há ainda muita 'água pra rolar debaixo da ponte' e muito tempo para a realização de mais discussões este ano sobre a disputa pela Prefeitura e Cuiabá, ano que vem. 

E que, sobretudo, deve fazer parte desta discussões outras legendas que estiveram no arco de aliança e ajudaram o governador Mauro Mendes a sair vitorioso das urnas em 2022 e em 2028.

"Tenho dito que precisamos chamar para este diálogo o senador Jayme Campos, Botelho, Fábio, Júlio Campos, Dilmar Dal Bosco e todas as outras lideranças de partidos que formaram o arco de aliança que ajudaram o governador a sair vitorioso das urnas em 2022 e 2018. É preciso abrir diálogo com estas outras siglas pois eles, igualmente, têm bons nomes para esta disputa e com bastante possibilidade de também ganhar a disputa pela Prefeitura de Cuiabá".

Frisando também sobre a necessidade de que seja aberta uma discussão mais ampla sobre a disputa em outras prefeituras de Mato Grosso, no ano que vem.

"Se queremos um Mato Grosso melhor para todos, desenvolvido, precisamos de buscar gestores que, de fato, entreguem resultados em todos os municípios de Mato Grosso e não só aqui na capital".