Sábado, 25 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 18 de Abril de 2024, 13:27 - A | A

Quinta-feira, 18 de Abril de 2024, 13h:27 - A | A

MICHELLY ALENCAR

'Só erra quem se expõe, peço desculpas', diz vereadora após fala sobre preconceito por ser branca

Marisa Batalha/Luciana Nunes/O Bom da Notícia

Em entrevista ao Cast do Bom do site O Bom da Notícia nesta última terça-feira (16), a vereadora Michelly Alencar (UB) fez questão de explicar que todas as vezes que uma declaração não for compreendida ou causar quaisquer tipos de constrangimentos e, assim, construir um 'ruído na comunicação' é obrigatório que aquele que a fez, em especial, se for um político, que explique.

A fala da jornalista e parlamentar municipal veio após afirmação na Câmara de Vereadores, 'de ter sido vítima de preconceito por ser uma mulher branca' e que, desta forma, muitos acabavam dizendo que ela não entendia algumas situações por conta de sua cor.

Ao se contrapor, na quinta-feira passada, 11 de abril, às declaraçõe da colega de parlamento, Edna Sampaio(PT), que aponta já há um certo tempo que tem sido constantemente alvo de violência política de gênero e por ser negra, em sessão que foi votado o arquivamento do pedido de Comissão Processante contra o vereador Chico 2000 (PL) por suposta violência de gênero contra a vereadora petista.

A declaração de Michelly Alencar ganhou o noticiário nacional e algumas críticas ácidas sobre suposto racismo reverso [quando a pessoa se coloca na condição de vítima por conta de ser branca]. 

Às críticas, Michelly assegurou que, literalmente, não tem compromisso com erro ou medo de se desculpar por este erro, ao admitir ter sido infeliz na colocação, 'e que só erra quem se expõe', aproveitando para pedir desculpas.

“Quero aproveitar a oportunidade aqui porque eu acredito que só erra quem se expõe. E eu fui infeliz, eu queria dizer uma coisa e o termo que usei foi errado. Todos aqueles que me acompanham sabem. Sou jornalista e tenho consciência dos problemas, das origens do nosso Brasil e jamais faria isso conscientemente”, disse.

Ao site O Bom da Notícia, ainda na quinta passada, Alencar já havia frisado que jamais defenderia a 'branquitude', sob o olhar daquela racialidade construída sociologicamente para legitimar a violência contra grupos sociais não-brancos. E, nem tampouco, foi sua intenção realizar um racismo reverso, se colocando como vítima por ser branca. Assegurando que, aliás, abomina narrativas pautadas na supremacia branca que tem o intuito de banalizar a luta de pessoas racializadas e colocar os individuos brancos como vítimas.

No bate-papo com a jornalista Marisa Batalha, que comanda o Cast, a vereadora voltou a reiterar suas desculpas, ao ressaltar que sua declaração foi realmente infeliz. 

“Foi um equívoco, assumo aqui que foi uma fala infeliz e não quero que toda essa luta, essa trajetória pare ou seja resumida em uma contradição, na hora de explicar um fato. Agora uma coisa é fato eu nunca me vitimizei, mas faço questão de me desculpar por uma fala equivocada. A falha foi minha mesmo”, completou.

Ao pedido de desculpas da parlamentar alegando que 'só erra quem se expõe', a vereadora Edna Sampaio afirmou que Michelly não deve desculpas pelo absurdo que disse. E que a resposta supostamente seria coerente com seus posicionamentos, ao relembrar que a parlamentar unista votou por sua cassação na Casa de Leis e defendeu contraditoriamente o tenente-coronel Marcos Paccola(Republicanos), cassado após matar o agente socioeducativo Alexandre Miyagawa, pelas costas, no dia 1º de julho de 2022, no bairro Quilombo, centro de Cuiabá.  

"Ela deu uma resposta coerente com o fato dela querer cassar duas vezes uma mulher negra sob acusação sem prova e, quando um homem branco assassinou uma pessoa pelas costas, ela o defendeu ardorosamente [...] Não há do que se desculpar, mesmo porque desculpas não apagam o racismo; atitudes sim".

Veja a entrevista Aqui