Quinta-feira, 25 de Julho de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 13 de Junho de 2024, 13:16 - A | A

Quinta-feira, 13 de Junho de 2024, 13h:16 - A | A

EX-SECRETÁRIO MUNICIPAL

Vereador alvo da Ragnatela é substituido; Chico diz que a suplente para 'escrever sua história na Casa'

Luciana Nunes/ O Bom da Notícia

Raufrides Macedo (PV) tomou posse nesta quinta-feira (13) como vereador de Cuiabá, ao substituir Paulo Henrique (MDB), que se licenciou por 31 dias da Câmara Municipal, após ser alvo da Operação Ragnatela, deflagrada pela Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco).

E ainda alvo de representação aberta na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, na Casa de Leis - com a assinatura de nove parlamentares -, para que seja investigada sua suposta participação em esquema de lavagem de dinheiro para o Comando Vermelho.

Em seu primeiro discurso na Casa, Macedo agradeceu pela oportunidade e garantiu que vai trabalhar em favor da população cuiabana, em especial, pelas comunidades que confiaram em se trabalho e votaram nele na última eleição.

“Agradecer os amigos que sempre tiveram junto comigo aí na luta, as pessoas que confiaram em mim, votaram em mim, e dizer que eu estou muito feliz e muito alegre. Com esta oportunidade de estar aqui nessa Casa, a gente vai poder participar das melhorias que é para a cidade. Obrigado a todas aquelas pessoas que confiaram em mim, na certeza que a gente vai buscar melhorias para as comunidades", disse o parlamentar.

Macedo foi recepcionado pelo presidente da Câmara Chico 2000 (PL), que disse ao vereador que era a hora dele escrever sua história na Casa.

“Disse a ele que é uma oportunidade dele escrever uma história que valorize aqueles que lhe proporcionaram uma oportunidade de estar aqui e que traga motivações para buscar os interesses da população Cuiabá, para que tenhamos uma cidade cada vez melhor para a população cuiabana. Tenho certeza que essa agora é uma das missões do vereador Raufrides”, disse.

Vale lembrar que Raufrides antes de assumir a vaga na Câmara era secretário interino de Obras e adjunto de Infraestrutura de Cuiabá. Ele foi exonerado na quarta-feira (12), poder tomar posse nesta quinta.

Pedido de licença

Nesta última terça-feira(11), o vereador Paulo Henrique pediu para se afastar do cargo por 31 dias, depois de se tornar um dos alvos  da Operação Ragnatela. 

“Quero comunicar a esta Casa, que neste momento, vou protocolar a minha licença de 31 dias. A minha prioridade, desse servidor de 36 anos de serviço público, é a minha honra, é a minha família. Fui acusado de atuar para liberação de alvarás para shows em troca de benefício e vantagens. Como vereador, fui procurado por promotores de shows pretendendo a liberação de licenças e alvarás. Sempre me limitei a encaminhar tais pedidos para a pasta especifica. Sem nunca ter requerido qualquer privilégio a qualquer pessoa que seja”, disse.