Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 20 de Junho de 2024, 12:14 - A | A

Quinta-feira, 20 de Junho de 2024, 12h:14 - A | A

OLHAR DO BEM

Vereadora Maysa Leão pede valorização aos cuidadores de alunos com deficiência

Da Redação do Bom da Notícia com Assessoria

 

A vereadora Maysa Leão (Republicanos) utilizou a Tribuna da Sessão Ordinária desta quinta (20) para alertar sobre a precarização do trabalho do profissional CAD - cuidador de alunos com deficiência. Segundo levantamento feito pela parlamentar, esta categoria recebe menos de um salário mínimo e não tem acesso à qualificação adequada.

“Hoje, o município de Cuiabá paga para a empresa por cada cuidador de aluno com deficiência R$5.800,00 por mês. E esse mesmo cuidador recebe menos de um salário mínimo. É ultrajante, é impossível que pessoas que tenham o mínimo de ética e respeito, princípios, valores, aceitem que um profissional da educação receba menos de um salário mínimo”, declarou Maysa Leão no Plenário.

A profissão CAD hoje no município de Cuiabá é gerida pela empresa terceirizada Conviva. Este ponto, segundo a parlamentar, não contribui para o fortalecimento da educação. A vereadora Maysa Leão defende o concurso para a categoria.

“Uma grande ineficiência e indiferença com esses profissionais dentro da gestão Emanuel Pinheiro, visto que nós temos pedido que haja um concurso para CADs, para que esses profissionais tenham o mínimo de dignidade. Eu fiz esse pedido pessoalmente para a secretária Edilene, eu fiz esse pedido por indicação, eu fiz esse pedido por ofício, eu fiz esse pedido de todas as formas possíveis”, relatou Maysa, que luta para a valorização da categoria.

Segundo Maysa Leão, ‘não dá para aceitar que uma empresa tenha um enriquecimento de mais de 52 milhões de reais por ano, enquanto mulheres e homens, cuidadores de alunos com deficiência, passam dificuldade para manter seus lares’.

A parlamentar republicana, que também é mãe atípica, reafirma seu compromisso com a categoria, com a comunidade das famílias atípicas, na luta pela valorização do profissional cuidador de alunos com deficiência.