Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

VARIEDADES Terça-feira, 09 de Maio de 2023, 15:33 - A | A

Terça-feira, 09 de Maio de 2023, 15h:33 - A | A

Avião futurista promete ir de SP à China em 4h

Turismo

O avião supersônico Destinus
Divulgação/Destinus

O avião supersônico Destinus

A startup Destinus , com sede na Suíça, está desenvolvendo um avião que promete encurtar viagens pelo mundo. A empresa afirma que sua aeronave hipersônica conseguirá fazer um voo entre São Paulo , no Brasil, e Xangai, na China , em 4 horas e 15 minutos. Hoje, uma viagem entre essas duas cidades leva 22 horas, dependendo do trajeto.

A viagem seria possível por meio de uma tecnologia que permite que a aeronave voe a mais de cinco vezes a velocidade do som, com o uso do hidrogênio como combustível. A empresa diz que o feito não compromete o custo, a versatilidade ou o ruído produzido pela aeronave.

Segundo a rede de TV CNN, a Destinus já desenvolveu dois protótipos que tiveram testes bem-sucedidos. Um terceiro protótipo deve fazer seu voo inaugural até o final do ano.

Martina Löfqvist, gerente de desenvolvimento da startup, afirmou à emissora que a estratégia é produzir drones em menor escala e, depois, aumentar o tamanho para produzir aeronaves maiores.

Em sua estrutura, o design reutiliza um formato desenvolvido em 1950, mas nunca utilizado, chamado de waverider. A pintura do avião é inspirada nos Alpes, uma referência à origem da startup.

"O objetivo é fazer com que a aeronave voe em cima de ondas de choque geradas por ela mesma. É um formato muito eficiente, usando menos combustível para voar porque você tem menos resistência com o ar", explicou Löfqvist à CNN.

O protótipo tem cerca de 10 metros de comprimento. A expectativa é de que, em 2024, a companhia já tenha conseguido realizar um voo supersônico movido a hidrogênio.

As longas distâncias em alta velocidades seriam possíveis por meio do uso do hidrogênio como combustível. O hidrogênio, explica a empresa, pode ser produzido a partir da água por meio do processo de eletrólise, usando energias renováveis. O combustível também é melhor para o meio ambiente, já que, quando é queimado, produz calor e água.

A Destinus diz, ainda, que o gasto para a produção do hidrogênio está diminuindo, o que deve ajudar a diminuir o custo dos voos.

Além disso, a empresa afirma que a aeronave pode ser adquirida por qualquer empresa aérea. A startup afirma que o avião pode ser utilizado em aeroportos convencionais.

Mas ainda deve demorar um pouco para a aeronave estar, de fato, disponível para o mercado.

Para 2030, a previsão é de que a Destinus esteja apta a lançar um avião de pequena escala, para cerca de 25 passageiros, que será voltado a clientes da área de negócios. Só em 2040 a empresa espera ter uma versão maior para múltiplas classes de passageiros, inclusive a econômica.

*Com informações de Nossa UOL.

Acompanhe o iG Turismo também pelo Instagram e receba dicas de roteiros e curiosidades sobre destinos nacionais e internacionais. Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram.

Fonte: Turismo