icon Sexta-feira, 18 de Junho de 2021

AGRO & ECONOMIA Sábado, 23 de Novembro de 2019, 07:00 - A | A

QUEDA

Cuiabá registra redução na intenção de consumo em novembro

O Bom da Notícia

Com 85,7 pontos registrados em novembro, a pesquisa que mede a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), em Cuiabá, apresentou redução de 0,5% na comparação com o mês anterior. Ainda assim, a pesquisa atual foi maior do que a verificada em novembro de 2018, quando o índice contabilizava 76,4 pontos. A alta observada no período foi de 12,1%.

 

A pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) tem variação de zero a 200 pontos, onde abaixo de 100 pontos indica uma percepção de insatisfação, enquanto acima de 100 indica o grau de satisfação em termos de seu emprego, renda e capacidade de consumo.

 

A melhora gradual da pesquisa, divulgada nesta sexta-feira (22) e comentada pela própria Fecomércio-MT, está em linha com os bons sinais recentes da economia, com o acréscimo de renda através dos saques do FGTS e do PIS/Pasep, além do recebimento do 13º salário.

 

Tal condição refletiu na melhora do componente Perspectiva de Consumo, que apresentou alta mensal de 1,3% e de 33,5% na comparação com novembro passado, alcançando 71,1 pontos. A alta do componente Momento para Duráveis, de 2%, também contribuiu para o aumento de 3% na variação anual da pesquisa, somando 60,4 pontos.

 

Apesar da melhora dos dois componentes da pesquisa, todas as outras tiveram resultados negativos no mês, com destaque para Perspectiva Profissional (-1,8%), Renda Atual (-1,3%) e Compra a Prazo (-1,2%). No entanto, os componentes apresentaram variação positiva na comparação com novembro de 2018, de 6,2%, 1,7% e 23,4%, respectivamente.

 

Apesar do componente Emprego Atual também apresentar resultado negativo, de 0,6% na pesquisa de novembro, o componente permanece como o único em nível satisfatório, com 120,3 pontos. O índice é 1,4% melhor se comparado com novembro do ano passado, quando somava 118,6 pontos.

 

Número de inadimplentes cresce

 

Número de mato-grossenses inadimplentes aumentou 2,1% em outubro, na comparação com igual mês de 2018. O percentual ficou abaixo do registrado no Centro-Oeste (2,49%), mas acima da média nacional, que teve crescimento de 1,58%.

 

Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e mostram que na passagem de setembro para outubro, a quantidade de pessoas com restrição às compras a prazo no Estado aumentou 0,30%. Segundo o levantamento, a quantidade de dívidas caiu 4,87% no mês passado, sobre outubro de 2018. 

 

Cada consumidor inadimplente em Mato Grosso tinha em média 1,915 dívida em atraso. A quantia ficou acima da média da região Centro-Oeste, com 1,890 dívida por pessoa inadimplente, e acima da média nacional registrada no mês, de 1,847 dívida por pessoa. No Estado, o setor com participação mais expressiva do número de dívidas no último mês foi o de bancos, com 33,77% do total de débitos. 

 

Por faixa etária de devedor, a pesquisa aponta maior participação na faixa de 30 a 39 anos, com 26,85% do total, em outubro. Para o superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL), Fábio Granja, os números tendem a melhorar nas próximas semanas, principalmente com ações de governo federal, como liberação do FGTS, pagamento do 13º salário por parte das empresas e principalmente, através de ações das empresas oferecendo oportunidades para os consumidores inadimplentes de limpar seu nome, como a campanha “Feirão Nacional SPC”, que começou esta semana em todo o Brasil.

 

“Aderimos à iniciativa e oferecemos aqui na Capital a oportunidade de os consumidores que possuem dívidas de iniciar o próximo ano com o nome limpo. Com isso, nossa expectativa aqui no Estado é de diminuir ainda mais o número de pendências e o contingente de devedores”. (Com Assessoria)



Imprimir

Comentários