Sábado, 20 de Julho de 2024

AGRO & ECONOMIA Quinta-feira, 11 de Maio de 2023, 12:04 - A | A

Quinta-feira, 11 de Maio de 2023, 12h:04 - A | A

Número de pessoas que recebem programas sociais bate recorde em 2022

Economia

Bolsonaro em entrega simbólica do cartão do Auxílio Brasil: valor de R$ 600 começa a ser pago na terça-feira
Isac Nóbrega/PR - 24.02.2022

Bolsonaro em entrega simbólica do cartão do Auxílio Brasil: valor de R$ 600 começa a ser pago na terça-feira

Em 2022, o Brasil bateu o recorde de pessoas recebendo recursos do Bolsa Família, à época rebatizado de Auxílio Brasil. O percentual de lares brasileiros que receberam o benefício chegou a 16,9% no ano eleitoral, maior patamar desde o início da série histórica, iniciada em 2012.

O estudo não contabiliza o período de vigência do auxílio emergencial, ou seja, os dois anos do auge da pandemia, em que mais de 30 milhões de pessoas receberam transferência de renda.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o perfil geral do Portal iG

Antes da pandemia, em 2019, o percentual de lares brasileiros que recebiam o benefício era de 14,3%. Em 2012, de 16,6%. Os dados são da “Pnad Contínua: Rendimento de todas as fontes 2022”, divulgada nesta quinta-feira pelo IBGE.

Por conta da ampliação do benefício, a renda per capita também subiu em 2022, chegando a R$ 1.586, alta de 6,9% frente a 2021, quando havia registrado o menor valor (R$ 1.484) da série.

O IBGE ressalta ainda que, entre 2021 e 2022, caiu de 15,4% para 1,5% a proporção de domicílios que receberam algum benefício de outros programas sociais. Paralelamente, saltou de 8,6% para 16,9% o índice de domicílios que receberam o Auxílio Brasil/Bolsa Família.

"Essas oscilações podem estar ligadas a migrações entre benefícios (quando fosse mais vantajoso) ou a eventuais dificuldades dos informantes em identificar corretamente qual benefício recebiam", sinalizou o instituto.

O auxílio emergencial foi encerrado no final de 2021, quando o governo começou a transição para o Auxílio Brasil. Só em 2022 que o benefício passou para R$ 600, com isso, a desigualdade caiu ao menor patamar em uma década.

Fonte: Economia