Domingo, 16 de Junho de 2024

O BOM DA VIDA Domingo, 19 de Maio de 2024, 09:12 - A | A

Domingo, 19 de Maio de 2024, 09h:12 - A | A

INTEGRAR OPORTUNIDADES

Instituto INCA amplia projetos sociais de artistas voluntários em Cuiabá

Foram atendidos 20 artistas voluntários em projetos sociais desenvolvidos em centro comunitários, associações filantrópicas com ajuda de custo mensal

Da Redação do Bom da Notícia com Assessoria

Você já ajudou alguém hoje? Ser voluntário é uma atitude que envolve amor e o compartilhamento de experiências e histórias. E, em Cuiabá, 20 artistas doam seu tempo com diferentes causas sociais e aprendem com o outro vivências incríveis, e que o projeto social Integrar Oportunidades deu um motivo a mais para continuarem a fazer Palhaçaria, levar a Dança, o Teatro, o Artesanato Manual e a Música e Música Terapia em Igrejas, Asilos, Hospitais, Associações filantrópicas, entre outras localidades que atendam o coletivo: em comunidades, ou bairros, até mesmo em praças públicas da cidade.

Durante seis meses (18 de setembro de 2023 a 18 de março de 2924) o Instituto INCA-Inclusão, Cidadania e Ação, realizou o projeto social Integrar Oportunidades, com o investimento de R$ 1mil mensal, a 20 pessoas que já são voluntariados e realizam ações artísticas de intuito social há mais de um ano, em Cuiabá, nas áreas especificadas a partir de um Edital que foram selecionados, levando o bem-estar e a qualidade de vida a pessoas de todas as idades, para que eles sejam fortalecidos a continuarem executando o trabalho.

O Integrar Oportunidades contou com o patrocínio do Governo do Estado de Mato Grosso, via emenda parlamentar impositiva do deputado estadual Dilmar Dal Bosco, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), com apoio da Assembleia Legislativa de Mato Grosso e impulsionou o trabalho da maioria deles.

DANÇA

A exemplo, tem o projeto “Miriã”, que está realizando o sonho de meninas entre 4 e 13 anos de idade em praticar o balé, com aulas gratuitas, dentro de uma igreja, no bairro Coophamil. O projeto começou com um grupo de 10 alunas e agora está com 42 e fila de espera. Com o sucesso, as alunas terão um espetáculo no próximo dia 11 de junho, no Teatro Cerrado Zulmira Canavarros.

A grande realizadora deste sonho é a bailarina Tâmela Macene, de 25 anos, que trabalha como social mídia em uma agência de publicidade e dá aula de balé em uma escola fundamental.

Na categoria de Dança, também tivemos a Priscila de Paula dos Santos, do projeto “Abençoarte”, que atua no bairro Santa Marta formando dançarinos (de 16 a 40 anos de idade), para atuarem em ações voluntárias para dar aulas de dança em diversos lugares.

Além do Reginaldo Silva Gomes, que realiza aulas gratuitas de Capoeira Angola, pelo projeto “Corpo que Fala”, todas as terças e quintas-feiras, das 19h30 às 21h, na Praça da Família, no bairro Bela Vista.

PALHAÇARIA

A “Companhia do Sorriso” é ferramenta de cura em leitos de hospitais por meio de Adriano Miguel Silva, com o personagem Visconde de Sabugosa, Anna Victória Rodrigues Calauro Gomes, como Emilia, Simone Rodrigues Macedo de Araújo, como a princesa Belinha, e Cirleia Pereira Gomes. Essa equipe ajuda em média 150 crianças em tratamento oncológico, onde doam suplementos, cestas básicas e leite integral. E Anna Victória também se veste de Emília e sai a vender bonecas para ajudar a manter os trabalhos.

“Dentro desses 8 anos eu nunca tinha visto um programa de ajuda e auxílio aos artistas da capital, para custear despesas. Como no combustível, uber, maquiagem artística, figurino! Sou agraciada de fazer parte do integrar oportunidades que tem como visão o auxílio para maior desempenho dos artistas de Cuiabá! Parabéns”, destaca Simone, que também ajuda mulheres gestantes com a doação de enxoval.

Para os artistas, o Integrar Oportunidades caminhou como mão amiga para o desenvolvimento desta missão de espalhar o sorriso e o amor às crianças, também por meio da palhaçaria do grupo “Operação SóRia”, com Thaina Telles, que faz a personagem Estrela, e Aluisio Santos de Carvalho, o Mocorongo, em hospitais de Cuiabá.

“Juntos estamos fazendo história e transformando vidas, fomentando a arte e a cultura da nossa Cuiabá. Pela primeira vez em 15 anos de projeto tivemos uma ajuda vinda de uma instituição, que realmente veio para somar, incluir o que já fazíamos, mas de forma remunerada, ajudando a sustentar e melhorar o nosso projeto”, frisa Aluisio.

O objetivo é transformar um local de grande vulnerabilidade emocional em um ambiente de leveza, trazendo sorrisos e alívio para dor, restaurando a vontade de lutar e viver.

TEATRO

Teve a contribuição de Altiey Dally, com o projeto “Teatro na Periferia: arte e educação popular”, que atua há pelo menos 21 anos no bairro Parque Geórgia, promovendo o contato entre as crianças, jovens e adultos, no Centro de Cultura.

Cláudio Júnior Andreo, veio com a “Sala da Imaginação”, com o intuito de despertar e desenvolver a criatividade de crianças e adolescentes entre 8 a 13 anos, usando dinâmicas do teatro, com musicalidade e vivências com brincadeiras, na Creche Vó Cristina, no bairro Jardim Mossoró, região do Coxipó, além de passeios educativos.

Uma boa parte das pessoas nunca teve contato com o teatro ou com a apresentação de um espetáculo; muitas vezes, não descobrem suas possibilidades de expressão artística e, com exigências da sobrevivência diária, se bloqueiam.

E os artistas Aquina Carmem da Silva Ribeiro e Manoel da Silva, que se deslocam de Nossa Senhora do Livramento, há 37km de Cuiabá, como Compade Mané e Comadre Sebastiana, para levar alegria e bem-estar com apresentações em escolas, instituições, como asilos, e comunidades carentes.

ARTESANATOS MANUAIS

Há também a difusão da cultura afro, com o trabalho de Eliete Cristina Oliveira Almeida, do projeto “Maria Helena”, que aborda temas voltados ao cabelo afro: Racismo, Aceitação, entre outros, no bairro Tijucal, em seu Studio Charme Black, e em escolas da rede de ensino público. Ela ensina o trabalho de trançado, levando conhecimento, conscientização e despertar para o empreendedorismo, como geração de renda.

Já Ana Patrícia Rodrigues é a “Fofuxa do Bem”, que há 8 anos segue distribuindo seu artesanato em ruas, praças e comunidades, levando o seu talento como um ato de valorização da via. Além de bonecas, distribui rosas, chaveiros, canetas com suporte, entre outas artes.

“O Projeto Integrar Oportunidades é o que eu precisava para uma vida nova. Eu realmente estava sem expectativa nenhuma, já me sentia inútil, sem valor algum. E hoje estou tendo a chance de ganhar a bolsa e ter uma melhor qualidade de vida”, se emociona Ana Patrícia.

MÚSICA

Na música tivemos o arte-educador e pesquisador, Anselmo Parabá, com o “Anjos da Lata”, que traz a percussão alternativa tirada do lixo seco (reciclado), na Praça da Mandioca, e ao lado, na Casa das Pretas, para todas as idades, aliviando o estresse do dia a dia, proporcionando saúde mental com a confecção dos instrumentos, além da prática da música.

Ainda, oportunizou o projeto “Batalha na Alencastro”, com os artistas Carlos Alberto da Costa Junior e João Pedro Espíndola Ferreira, que são os MCs Caco e Bigger, que realizam todas às quintas-feiras, a partir das 19h, em frente a Prefeitura Municipal de Cuiabá, a improvisação de rimas do Rap, da cultura Hip Hop, em um ambiente inclusivo e saudável a pessoas que se interessam pela arte, a participar também com sua poesia e pocket show.

Já a rapper Karla Cristina Vecchia de Souza, executa o projeto “Hip Hop Hoje” para crianças e adolescentes nas periferias da capital. Neste momento está trabalhando no bairro Jardim Vitória, na Associação de Mulheres Ação e Arte. Vecchia desenvolve Oficinas de MC, na construção de rimas, aprendizado em técnicas vocais, expressão corporal e poesia. Oferece ainda aulas educativas com rodas de conversa sobre bullying, vivências periféricas, papo de profissão e futuro.

E o capixaba Joabe Alves Palmeira, atende crianças, jovens e adultos com aulas gratuitas no projeto “Grupo de Estudo Musical”, que proporciona aulas gratuitas com instrumentos de sopro, como saxofone, trompete e clarinete, no bairro Jardim Universitário.