Sábado, 25 de Maio de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 23 de Novembro de 2022, 10:55 - A | A

Quarta-feira, 23 de Novembro de 2022, 10h:55 - A | A

FEDERAIS E ESTADUAIS

Após megaoperação, Mato Grosso amanhece com 100% das rodovias liberadas

Da Redação do O Bom da Notícia /Com Assessoria

Mato Grosso não tem nesta quarta-feira (23), nenhuma rodovia federal ou estadual bloqueada por manifestantes. Todas as obstruções foram liberadas após ação das forças de segurança do Estado, junto com a Polícia Rodoviária Federal.

Na operação, que foi desencadeada na terça-feira (22), não houve nenhuma resistência por parte dos manifestantes. Em alguns lugares, inclusive, não foi necessária a utilização das Forças de Segurança para liberar a pista e os próprios manifestantes iniciaram o processo de desmobilização, por meio do diálogo com a Polícia Militar.

Durante a noite, policiais reforçaram a segurança nas rodovias e prenderam três pessoas, que tentavam incendiar pneus a 15km de Nova Mutum, sentido Sorriso.

O Gabinete de Crise, que gerencia a situação no Estado e deflagrou a operação para liberação das rodovias, é composto pela Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Politec, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e órgãos de inteligência.

As Forças de Segurança do Estado continuarão a dar suporte a Polícia Rodoviária Federal no patrulhamento das estradas em todo o Estado.

Fim de obstruções no país

'Não há mais bloqueios ou interdições nas rodovias federais no país', também garantiu a Polícia Rodoviária Federal, após megaoperação nesta última terça, nas estradas brasileiras. Dentre elas Mato Grosso, que tinha o maior número de trechos obstruídos, ao todo 18.

Para colocar fim às interdições foram colocados todos os profissionais das forças de segurança do Estado, com decisão do governo de combater os ataques, com a mudança no perfil das manifestações que não aceitam a derrota de Jair Bolsonaro(PL) por mais de dois milhões de votos para Luiz Inácio Lula da Silva(PT)

Em coletiva nesta terça, o governador interino, Otaviano Pivetta(Republicanos) descartou a inserção, nos desbloqueios, da Força Nacional, sob o argumento que o Estado tinha como enfrentar estes atos criminosos ocorridos dentro de seu território. Mesmo admitindo que o Estado reage a ataques criminosos, mas não consegue antecipar, claro, suas ações. 

Ao se referir a série de ataques praticados por manifestantes neste último sábado(19), à concessionária Rota do Oeste [que administra as BRs 163 e 364], com coquetel molotov, tiros em uma ambulância, guinchos incendiados e, paralelamente, com obstruções nas rodovias com árvores, derramamento de cargas de grãos e óleo espalhados nas estradas. E nesta segunda-feira(21), em outro ataque - já considerados como atos terroristas -, de três caminhões que foram incendiados na BR-163, em Sinop, sentido à Itaúba (600 km de Cuiabá) e em Cláudia, municípios que ficam ao norte do Estado.

"Por hora dispensamos essa mobilização da Força Nacional. Claro, descartado não está. Mas se houver necessidade o governo certamente vai fazer analisar, por enquanto não há necessidade pois temos uma força organizada suficiente para apoiar e cuidar do Estado”.