Terça-feira, 16 de Julho de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 23 de Junho de 2023, 13:48 - A | A

Sexta-feira, 23 de Junho de 2023, 13h:48 - A | A

TRANSPORTE ZERO

Barranco recomenda a pescadores peregrinar em gabinetes para garantir apoio dos deputados

Evelyn Siqueira/ O Bom da Notícia

O deputado estadual Valdir Barranco (PT) incentivou - durante entrevista a Rádio Conti FM nesta última quarta-feira (21) -, que os pescadores mato-grossenses ocupem de forma democrática os espaços da Assembléia Legislativa, para protestar e questionar os parlamentares sobre a posição ao projeto de lei ‘Transporte Zero’, que proíbe a pesca durante cinco anos em Mato Grosso. 

Além de defender a peregrinação pelos gabinetes dos parlamentares estaduais, Barranco apontou que esta seria uma forma para que os pescadores não se tornassem ‘mão de obra barata’. 

“É importante que os pescadores possam se manifestar democraticamente, assim, ocupando os espaços da Assembleia Legislativa, tanto na audiência pública quanto na votação. Como também fazer peregrinação pelos gabinetes e cobrar os seus deputados, até porque muitos deles votaram nesses deputados. Ou seja, cobrar para que eles não fiquem nos próximos cinco anos desempregados ou sendo mão de obra barata dos grandes produtores, que querem se apropriar desse mercado do peixe”, disse 

Avaliando o projeto como a forma ‘incorreta’ de solucionar a escassez de peixes, Barranco salientou que a proibição da pesca não resolverá o problema e, em consequência, trará ’desemprego e fome’. 

“E quem dizer que o deputado Barranco quer acabar com os peixes, quero dizer que sou biólogo e o que o governo está fazendo, — sem estudo técnico de uma universidade séria —, não é o correto. Porque proibir a pesca não resolve, só vai trazer desemprego e fome. O que tem que fazer? É a proibição e fiscalização nos períodos estabelecidos pela ciência, que é na piracema e na pesca predatória”, pontuou 

Revelando estar preocupado com a aprovação do projeto sem alterações favoráveis aos pescadores, o deputado afirmou não conseguir ‘entender os parlamentares estarem a favor’ de um projeto que afetará a cultura da baixada cuiabana. 

“Infelizmente, o Governo não está muito disposto a encontrar um meio termo. Fico até preocupado porque eu sou do nortão e lá não temos muito a pesca profissional, mas aqui em Cuiabá ela é muito intensa, é algo cultural e tradicional. Mas infelizmente temos a maioria dos deputados se colocando a favor do projeto do Governo e contra os pescadores, então não consigo entender até onde vai este projeto”, disse.