Segunda-feira, 20 de Maio de 2024

POLÍTICA Sábado, 20 de Abril de 2024, 14:55 - A | A

Sábado, 20 de Abril de 2024, 14h:55 - A | A

REJEITADO PELO PL

Cezinha admite que nunca se sentiu parte do UB, mas seguirá orientações da sigla

Evelyn Siqueira/ O Bom da Notícia

O vereador Cezinha Nascimento (UB), contou - durante conversa com jornalistas na Câmara Municipal nesta quinta-feira (18) -, que nunca se sentiu parte do partido União Brasil nesses quatro anos de mandato e por este motivo sempre foi livre para tomar a suas decisões sobre votação de qualquer projeto do poder executivo municipal. 

Para reforçar o seu discurso, Cezinha usou como exemplo a correligionária e colega de parlamento, Michelly Alencar, que diferente de Cezinha Nascimento atua como oposição ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

“Na verdade, o partido nunca me pressionou e nunca me forçou a nada! Inclusive, desde quando surgiu o partido eu nunca fui chamado ou convidado para ir até o partido. Ou seja, o partido me deixou livre para tomar as minhas decisões da forma que eu achasse conveniente, como a Michelly, que vota de um lado e eu de outro!”, disse.

Admitindo, porém, que algumas coisas mudaram e que agora estaria se sentindo parte da sigla, após a reunião com a presidente do diretório municipal de Cuiabá, deputada federal, Gisela Simona, quando foi decidido que o partido se posicionaria mais firmemente contra a gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), na capital, inclusive, com punições duras aos membros com mandatos. Depois desta conversa, Cezinha garantiu que durante a votação da Comissão Processante se posicionará contra o prefeito, Emanuel Pinheiro. E, igualmente, votará pela reprovação das Contas da Prefeitura de Cuiabá, de 2022, seguindo parecer do tribunal de Contas do Estado e orientação do partido.

“A partir do momento que o partido me fez o convite eu deixei claro para eles que o que ficou para trás eles não podem me cobrar, até mesmo porque o partido nunca me convidou, nem para ir até à sede do partido. No entanto, como agora eles me convidaram e falaram que eu faço parte do partido e que o partido precisa de mim, eu sou partidário. Não vou ser rebelde ao extremo de ir contra o partido. Portanto, irei seguir a orientação partidária”, garantiu.

Migração implodida 

Agora, obviamente, é necessário relembrar que Cezinha bem que tentou sair do União Brasil durante a Janela Partidária que se fechou no dia 6 de abril, e que buscou, sem sucesso, o Partido Liberal.

O vereador queria sair do UB e filiar-se ao PL para construir seu projeto político em busca da reeleição na Câmara Municipal de Cuiabá, mas teve seu nome vetado pelo deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de Cuiabá, Abílio Brunini, igualmente, presidente do partido em Cuiabá, sob argumento de que o parlamentar faz parte da base de apoio do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), na Câmara. 

A implosão ao projeto político do vereador vem causando 'pano pra manga', já que o deputado estadual Elizeu Nascimento, do PL, deixou bem claro esta semana, não só sua decepção com Abílio, mas seu compromisso de ficar ao lado do seu irmão e, por tabela, ao lado do União Brasil (UB).